moto.com.br

Publicidade:

Testes

Honda Lead esbanja conforto e praticidade

27 de July de 2009
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

No Brasil, o mercado de scooters está em franco crescimento. Dominado pelo Suzuki Burgman 125 e pelo Yamaha Neo CVT que, juntos, já venderam mais de 51 mil unidades desde 2008. Depois de anos sem nenhum produto na categoria, a Honda lançou o Lead 110, modelo mundial que está em sua quarta geração. Sua missão é clara: formar uma nova geração de motociclistas e abocanhar uma fatia desse mercado.

Para a marca, o Lead 110 ajuda a disseminar a cultura de duas rodas no País. Atributos não lhe faltam como, por exemplo, agilidade no trânsito, facilidade de condução, economia, segurança, muito espaço para transportar pequenos objetos, além de uma pitada de tecnologia. O novo scooter está equipado com injeção eletrônica, sistema de freios CBS (Combined Brake System) e transmissão automática CVT. O modelo está desembarcando nas concessionárias com preço sugerido de R$ 6.250,00.

Antes de abordar os aspectos técnicos e impressões ao pilotar, temos que destacar no Lead 110 sua funcionalidade e conforto. No anteparo do escudo frontal há espaço suficiente para carregar a carteira, celular, óculos e até um MP3. Há também uma alça para levar uma pequena sacola de supermercado. Sob o banco, mais espaço. No compartimento é possível transportar até dois capacetes ou pequenas compras, material escolar etc.

Outro ponto positivo para o Lead é que o bocal do tanque de gasolina fica na parte externa, perto do assoalho, em vez de estar sob o assento. Ou seja, o condutor não precisa levantar o banco para completar o tanque. Além disso, o reservatório de combustível de 6,5 litros sob o assoalho abaixa o centro de gravidade, o que reflete em um melhor equilíbrio do modelo.

Motor e ciclística

O Honda Lead 110 conta com um motor monocilíndrico de 108 cm³, OHC (comando simples no cabeçote) com arrefecimento líquido. O propulsor gera potência máxima de 9,2 cv a 7.500 rpm e torque de 0,97 kgf.m a 6.000 rpm. O pequeno propulsor está equipado com sistema de injeção eletrônica de combustível PGM-FI. Além de atender com folga o Promot 3 (Programa de Controle de Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), o Lead é econômico. Rodando exclusivamente no trânsito de São Paulo, o scooter da Honda teve uma média de consumo de 33,4 km/l. Ou seja, o modelo tem autonomia para rodar cerca de 200 km.

Para facilitar a vida dos “marinheiros de primeira viagem”, o scooter apresenta transmissão automática CVT (transmissão continuamente variável). Em vez de o piloto trocar de marcha, basta dar o “start” e acelerar. Como em outros modelos, o Lead só liga se um dos manetes de freio for acionado. Em função de seu torque, o scooter Honda larga na frente dos carros quando o farol abre. Já a velocidade máxima não passa dos 90 km/h.

“Urbanóide” por vocação, o Lead 100 encara com bastante desenvoltura o trânsito carregado. Porém não vá esperar o mesmo desempenho de uma 150cc. O scooter da Honda não foi projetado para o trabalho, mas sim como meio de transporte ágil e dinâmico. O condutor, com experiência na condução de uma motocicleta, sentirá falta do câmbio para reduzir marchas quando o Lead encarar uma subida mais acentuada.

Na dianteira o Lead conta com garfo telescópico com 90 mm de curso e disco simples de 190 mm de diâmetro da marca Nissin. Já na traseira, suspensão monoamortecida com 84 mm de curso e freio a tambor de 130 mm. Como grande diferencial frente à concorrência, o Lead está equipado com o exclusivo sistema de freios combinados. Na prática, ao acionar o freio traseiro (manete esquerdo), o dianteiro entra em funcionamento simultaneamente, diminuindo o tempo de frenagem e aumentando a segurança. Em função de sua ciclística, o Lead consegue mudar de direção com muita facilidade. Característica fundamental para sua grande agilidade.

Outro diferencial está na roda dianteira de 12’’ e de 10’’ na traseira, calçadas com pneus feitos em Taiwan, da marca Cheng Shin. Como comparação, o Suzuki Burgman tem rodas de 10 polegadas na frente e atrás. Aliado ao grande e confortável assento, as suspensões, pneus e banco contribuem também para uma melhor absorção dos impactos. Resumindo, o conjunto de suspensão e freios estão de acordo com a proposta urbana do veículo. Porém, se o asfalto for muito ondulado, o scooter – e o piloto – sofrerá um pouco. 

Design e conforto

Pouca gente sabe, mas Lead 110 é o scooter Honda mais vendido no mundo. O modelo tem mais de 20 anos de “estrada”. Construído sobre um chassi monobloco (underbone), o modelo tem linhas clássicas traduzidas pelo escudo frontal, guidão com farol, além dos piscas integrados à lanterna. Completo, o painel de instrumentos é composto por velocímetro, hodômetro total, marcador de combustível, indicador da temperatura do motor, além de luzes-espia da injeção eletrônica, piscas e farol alto.

Além do espaçoso assento, o escudo frontal e o assoalho oferecem maior conforto e segurança para pernas e pés. Para a garupa, o Lead 110 conta com pedaleiras de alumínio retráteis e alças em alumínio, integradas ao bagageiro, que pode receber ainda um pequeno bauleto.

A expectativa da Honda é vender 18 mil unidades até o final do ano e preço público sugerido de R$ 6.250,00. Porém, na prática, o valor cobrado na concessionária é bem diferente. Nas concessionárias Honda pesquisadas na capital paulista, o Lead 110 tem preço entre R$ 6.990,00 e R$ 7.200,00. O modelo tem um ano de garantia, sem limite de quilometragem.

FICHA TÉCNICA:
MOTOR: MONOCILÍNDRICO, OHC, QUATRO TEMPOS, DUAS VÁLVULAS, REFRIRAÇÃO LÍQUIDA
CAPACIDADE: 108 CM³
DIÂMETRO X CURSO: 50 MM X 55 MM
POTÊNCIA MÁXIMA: 9,2 CV A 7.500 RPM
TORQUE MÁXIMO: 0,97 KGF.M A 6.000 RPM
QUADRO: MONOBLOCO - UNDERBONE
TRANSMISSÃO FINAL: CVT - V-Matic
ALIMENTAÇÃO: INJEÇÃO ELETRÔNICA
SUSPENSÃO DIANTEIRA: GARFO TELESCÓPICO COM 90 MM DE CURSO
SUSPENSÃO TRASEIRA: MONOAMORTECIDA COM 84 MM DE CURSO
FREIO DIANTEIRO: DISCO SIMPLES 190 MM DE DIÂMETRO
FREIO TRASEIRO: TAMBOR COM 130 MM DE DIÂMETRO
PNEU DIANTEIRO: 90/90-12 44J
PNEU TRASEIRO: 100/90-10  56 J
COMPRIMENTO 1838: MM
LARGURA: 668 MM
ALTURA: 1125 MM
ALTURA DO ASSENTO: 740 MM
DISTÂNCIA ENTRE EIXOS: 1.274 MM
TANQUE DE COMBUSTÍVEL: 6,5 LITROS
PESO: 109 KG
PREÇO: R$ 6.250,00 (sugerido)

Fotos: Gustavo Epifanio



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste Harley-Davidson XL 1200 CA: Estilosa e urbana!

Teste: BMW R 1200 GS Adventure encara Triumph Explorer XC

Avaliamos o sistema de freios CBS da nova Honda CG 150 Titan

Teste: Honda CBR 600RR é uma esportiva dócil

Teste: Harley-Davidson Iron 883 e Triumph Bonneville T100

Teste Yamaha Crosser 150: Uma trail para o dia a dia

Teste BMW S 1000R: Amor à primeira volta!

Teste: BMW R 1200 GS Adventure encara Triumph Explorer XC

Avaliamos o sistema de freios CBS da nova Honda CG 150 Titan

Teste Harley-Davidson XL 1200 CA: Estilosa e urbana!

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Yamaha lança XTZ 150 Crosser e nós já avaliamos, confira!

Teste: Primeiras impressões com a Honda CB 500X

Teste: Honda CBR 600RR é uma esportiva dócil


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras
Ducati Honda CB 600 F Hornet Motos Usadas Kawasaki Motos Novas Fazer Transalp Fipe Yamaha YZF R1 Suzuki Kasinski Moto Velocidade Srad Sundown Motos CBR Harley Davidson MotoGP BMW XT 660 Tornado 600RR Ofertas Shadow Revista Off Road

Siga-nos

ícone orkut ícone youtube ícone twitter ícone facebook ícone rss