moto.com.br

Publicidade:

Testes

Citycom300 x CB300R: scooter ou moto?

31 de March de 2011
Compartilhe este conteúdo:

André Jordão

Uma questão de estilo. Foi assim que nasceu a ideia de comparar a Honda CB 300R com o Dafra Citycom 300i. Preços próximos, motores de 300 cm³ e ambos nasceram para rodar pelos grandes centros urbanos. Mas as semelhanças param por aí. Enquanto a CB 300R é uma motocicleta, no sentido técnico do termo, o Citycom é um scooter. Estilos distintos de veículos de duas rodas projetados para atender necessidades e gostos de diferentes motociclistas.

Com preço praticado de R$ 14.900,00 (na cidade de São Paulo), para a versão com sistema de freios C-ABS, a Honda CB 300R substituiu a CBX 250 Twister em 2009 e se multiplica pelas ruas desde então – foi a sexta moto mais vendida em 2010 com 79.660 unidades emplacadas. Uma moto versátil que atende aos anseios daqueles que precisam de um meio de locomoção para o cotidiano, mas que também querem um veículo para viajar nos finais de semana.

Já o Dafra Citycom 300i, fruto de uma parceria entre a empresa brasileira e a taiwanesa SYM, veio para preencher uma lacuna do segmento de scooters. Classificado como maxiscooter, o Citycom tem preço praticado de R$ 13.090 (cidade de São Paulo). Seus principais diferenciais são o porte elegante e robusto e o motor de maior capacidade que os outros scooters.

Desempenho e consumo
Seria complicado e tendencioso afirmar que um estilo é melhor que o outro, scooter ou a motocicleta. Tudo vai depender do seu gosto pessoal e também do uso que fará do veículo. O Citycom 300i é o único representante do segmento de scooters com 300 cm³, o que significa melhor desempenho. O motor monocilíndrico com refrigeração líquida produz 23 cv de potência máxima a 7.500 rpm e torque de 2,44 Kgf.m a 5.500 rpm. Na prática, o Citycom salta na frente da maioria das motos no semáforo e, em função do câmbio CVT, o piloto não precisa se preocupar em trocar de marcha. Basta acelerar e trafegar tranquilamente sem se cansar.

A CB 300R traz especificações diferentes – motor com duplo comando de válvulas e arrefecimento a ar –, porém com desempenho semelhante: 26 cv a 7.500 rpm de potência e 2,81 kgf.m a 6.000 rpm de torque máximo. Números que também destacam essa Honda dos demais veículos nas arrancadas. Todavia, a embreagem manual e o câmbio de cinco velocidades permitem ao piloto um dinamismo que o scooter não tem. Basta reduzir, queimar embreagem ou mesmo subir as marchas rapidamente para ganhar velocidade mais rapidamente.

Quando avaliamos o consumo, mais equilíbrio. Rodando na estrada e com o acelerador totalmente aberto a CB 300R rodou 23,8 km/l – na cidade a média ficou em 25 km/l. Já o scooter da Dafra, na estrada e na cidade, manteve a média de 23,4 km/l. A grande diferença fica por conta da capacidade do tanque. Enquanto a CB 300R tem capacidade para 18 litros, o Citycom comporta apenas 10 litros. Outro ponto para a motocicleta, que tem uma autonomia bem maior.

Conforto
Se na motorização a motocicleta leva vantagem, nos quesitos conforto e praticidade ponto para o scooter. O Citycom tem o tanque de combustível localizado no console em que o piloto apóia os pés. Com isso, o espaço sob o banco é amplo. Pode-se levar uma mochila grande ou um capacete fechado e ainda sobra espaço para itens menores que estão sempre em nossos bolsos.

O Citycom também conta com um porta objetos no painel para carteira e celular e ainda um gancho para sacolas ou bolsas. Por outro lado, como toda motocicleta, a CB 300R não tem nenhum espaço extra para comportar utensílios do motociclista. Seria preciso investir em um bagageiro e bauleto para carregar suas coisas no dia-a-dia.

Outro item a favor do Citycom 300 é a proteção garantida pelo escudo frontal. Como nos scooters o piloto vai sentado e com os pés amparados, poças d’água e outras sujeiras não são um problema – pode-se até encarar a garoa típica de São Paulo sem se molhar. Por outro lado, na motocicleta as pernas vão desprotegidas e mesmo o piso molhado já resulta em calças e calçados sujos. Sem esquecer que o pedal de câmbio ainda danifica sapatos e tênis não apropriados.
 
Estrada e cidade
Ao testar estes dois veículos na cidade e na estrada uma surpresa foi constatada. A CB 300R se mostrou muito acertada para rodar por um grande centro urbano. O modelo testado tem freios com sistema ABS, o que é muito útil na cidade. Ajudam nas constantes fechadas que recebemos e são como um anjo da guarda nessa rotina conturbada das cidades. Ambos os freios da versão testada são a disco e o sistema antitravamento evita uma queda caso seja necessário frear sobre piso escorregadio.

O Dafra Citycom 300i também traz freio a disco em ambas as rodas. Mas a diferença entre o scooter e a moto neste caso é grande. Característica do scooter, os freios são acionados nos dois manetes — esquerdo para o freio de trás e direito para o freio dianteiro. Seu funcionamento foi um pouco “borrachudo” e é preciso apertar os manetes com força para parar os 182 kg a seco deste scooter – quase 40 kg a mais que a CB 300R.

Como nossas ruas estão cada vez mais remendadas, ao invés de bem pavimentadas, o conjunto de suspensões de ambos os modelos trabalham muito na cidade. O scooter tem na dianteira um garfo telescópico com 100 mm de curso e na traseira um sistema bichoque com 91 mm de curso. São especificações que condizem com sua proposta, mas não conseguem absorver as imperfeições do asfalto dos grandes centros.

Com um garfo telescópico de 130 mm de curso na frente e balança monoamortecida com 105 mm de curso atrás, a CB 300R absorve melhor os desníveis e oferece mais conforto ao motociclista. Mas basta entrar na estrada que a situação se inverte, o que surpreendeu. Com um escudo frontal alto e um parabrisa funcional, o Citycom provou que o scooter pode sim pegar uma estrada nos finais de semana. As pernas também ficam protegidas e permitem rodar muitos quilômetros antes de começarem a doer.

Já a CB 300R cansa mais o piloto. Sua posição de pilotagem não é ideal para progredir em estradas e o motociclista tem que se abaixar para fugir do vento. Outro ponto positivo para o scooter é o banco. Largo e muito confortável para piloto e garupa, o Citycom supera a CB 300R neste quesito.

Questão de gosto
Depois de rodar quase 500 km com o Dafra Citycom 300i e a Honda CB 300R C-ABS no uso urbano e rodoviário, a conclusão que chegamos é praticamente a mesma de quando surgiu a ideia deste comparativo: um não é melhor que o outro. É uma questão de gosto.

Se você gosta de motocicleta e não abre mão de passar marchas com o auxilio da embreagem, escolha uma moto para ser sua companheira. Entretanto, se você precisa de um veículo que o conduza com agilidade e muito conforto, um scooter é ideal para o seu cotidiano.

Ficha Técnica - Dafra Citycom 300i
Motor monocilíndrico, quatro válvulas, OHC, com arrefecimento líquido
Capacidade cúbica 263,7 cm³
Potência máxima 23 cv a 7.500 rpm
Torque máximo 2,44 Kgf.m a 5.500 rpm
Alimentação Injeção eletrônica
Capacidade do tanque 10 litros
Transmissão CVT
SUSPENSÃO
Suspensão dianteira Telescópica, com 100 mm de curso
Suspensão traseira Bichoque, com 91 mm de curso
FREIO
Freio dianteiro Disco simples com pinça de pistão duplo
Freio traseiro Disco simples com pinça de um duplo
Chassi Tubular
Dimensões (C x L x A) 2.210 mm x 785 mm x 1.445 mm
Altura do assento 800 mm
Altura mínima do solo 125 mm
Entre-eixos 1.500 mm
Peso seco 182 kg (a seco)
Cores Preta, azul e branca
Preço praticado R$ 13.090 (cidade de São Paulo)

Ficha Técnica - Honda CB 300R
Motor DOHC, quatro tempos, quatro válvulas, arrefecido a ar
Capacidade cúbica 291 cm³
Diâmetro X Curso 79 x 59,5 mm
Potência Máxima 26,53 cv a 7.500 rpm
Torque Máximo 2,81 kgf.m a 6.000 rpm
Câmbio 5 marchas
Transmissão Final Corrente
Alimentação Injeção eletrônica
SUSPENSÃO
Dianteira Garfo telescópico, com 130 mm de curso
Traseira Monoamortecida, com 105 mm de curso
FREIO
Dianteiro Disco simples de 276 mm de diâmetro
Traseiro Disco simples de 240 mm de diâmetro
Dimensões (C x L x A) 2.085 mm x 745 x mm x 1.040 mm
Altura do Assento 781 mm
Distância Entre-eixos 1.402 mm
Tanque de Combustível 18 litros (3 litros de reserva)
Peso 148 kg
Cores Preta, vermelha, azul metálica e amarela metálica
Preço praticado R$ 14.900 (cidade de São Paulo)

Fotos: Doni Castilho



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Primeiras impressões Honda NXR Bros 160: Por que não 200 cc?

Teste: Honda CG 150 Titan X Yamaha Fazer YS 150

Teste: Kawasaki Ninja 1000 dá show de turismo esportivo

Teste BMW R NineT: Inúmeras possibilidades no estilo clássico

Teste: Harley-Davidson Street Glide CVO é custom completa

Teste: Dafra Maxsym 400i oferece conforto na estrada

Honda anuncia chegada dos modelos CB 650F e CBR 650F

Primeiras impressões Honda NXR Bros 160: Por que não 200 cc?

Teste: Honda CG 150 Titan X Yamaha Fazer YS 150

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Honda anuncia chegada dos modelos CB 650F e CBR 650F

Yamaha traz para o Brasil a MT-09, confira nossa avaliação!

Yamaha lança XTZ 150 Crosser e nós já avaliamos, confira!

Teste: Primeiras impressões do scooter Honda PCX 150


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras
Ducati Honda CB 600 F Hornet Motos Usadas Kawasaki Motos Novas Fazer Transalp Fipe Yamaha YZF R1 Suzuki Kasinski Moto Velocidade Srad Sundown Motos CBR Harley Davidson MotoGP BMW XT 660 Tornado 600RR Ofertas Shadow Revista Off Road

Siga-nos

ícone orkut ícone youtube ícone twitter ícone facebook ícone rss