moto.com.br

Publicidade:

Testes

Burgman 400: potência e conforto na dose certa

13 de September de 2011
Compartilhe este conteúdo:

Aladim Lopes Gonçalves

Conforme os números de mercado que apontam um crescimento surpreendente na frota nacional de motos nos últimos anos, cada dia mais e mais motociclistas saem às ruas e novos modelos chegam ao mercado para atender os consumidores dos veículos de duas rodas. Nesse sentido, os modelos equipados com transmissões automáticas, como scooters e maxi-scooters, vêm conquistando novos adeptos por oferecem mais conforto e praticidade na pilotagem que uma moto tradicional.

Mas as vantagens não param por aí. Engana-se quem acha que uma scooter ou maxi-scooter não é capaz de oferecer desempenho. Versatilidade no trânsito e boa performance são mais algumas qualidades que podem ser encontradas nesse estilo de moto. A Burgman 400, por exemplo, se encaixa bem nesses requisitos. A maxi-scooter da Suzuki traz um design com linhas atuais, motor com potência que surpreende e sistema de injeção eletrônica que proporciona um melhor desempenho e um nível de consumo reduzido.

Na linha de scooters da Suzuki no Brasil, a Burgman 400 é vendida por R$ 26.900, sendo o modelo intermediário no segmento, ainda há versões de 125i (R$ 5.990) e a top com 650cc (R$ 37.900). Em outros mercados, como da Europa e Ásia, essas motos automáticas têm mercado garantido por oferecerem boas vantagens tanto para quem circula bastante nas grandes cidades quanto para quem precisa fazer pequenas e médias viagens.

Ciclística
Para quem está acostumado a andar de moto custom a Burgman 400 não difere muito no estilo de pilotagem, com exceção, é claro, do câmbio automático CVT (relações de marchas variáveis), que dispensa a troca de marchas manuais como nas motocicletas convencionais. A posição do motociclista sobre o assento macio e largo, com ajuste de cinco posições no encosto, contribui para evitar a fadiga do motociclista. O para-brisa generoso protege o piloto na estrada e também de rajadas de vento em vias movimentadas.

O painel de instrumentos do modelo oferece uma visualização de leitura simples e rápida, sendo composto essencialmente por quatro relógios e alguns indicadores. Os dois relógios maiores são o velocímetro e o conta-giros. Já os mostradores menores, nas extremidades, indicam o nível de combustível e a temperatura do motor. O display digital no centro funciona como computador de bordo.

O conjunto da suspensão da Burgman 400 trabalha de forma eficiente, especialmente na parte traseira que conta com balança articulada monoamortecida e que praticamente absorve todo impacto nos pisos irregulares, assim como na passagem por valetas e lombadas. O sistema de freios com disco duplo na dianteira e disco simples na traseira mostra um nível de eficiência bastante satisfatório, apesar de não contar com ABS.

O nível de estabilidade da Burgman 400 agrada tanto nas acelerações quanto nas frenagens, aspecto que permite o total controle do motociclista nas principais manobras. Além disso, a moto chama muita atenção na rua, principalmente por causa do seu porte mais avantajado e dos faróis com forte luminosidade, mas o fato de ser uma scooter que atrai os olhares dos outros motociclistas e motoristas é positivo, pois a sua grande visibilidade contribui para aumentar a segurança no trânsito.

Nas arrancadas nos semáforos dá para sentir bem a força do motor da Burgman 400 que desenvolve 34 cavalos de potência a 7.300 rpm e torque de 3,70 kgfm a 5.800 rpm. A maxi-scooter da Suzuki sai na frente de praticamente todas as motos. Na estrada é fácil atingir 120 km/h e estabelecer uma velocidade de cruzeiro, com fôlego de sobra para realizar ultrapassagens com maior segurança sobre os carros, caminhões e ônibus. Durante o nosso teste, o consumo médio indicado no painel para o ciclo urbano/rodoviário variou entre 16 km e 18 km por litro.

A Burgman 400 também se destaca por oferecer vários porta-trecos e um espaço generoso para até 62 litros sob o assento, possibilitando levar dois capacetes (dependo do formato) ou uma mochila bem grande. Até quem pretende botar o pé na estrada numa viagem de fim de semana pode dispensar os bauletos, pois certamente vai se surpreender com a capacidade de carga dessa maxi-scooter. O tanque de 13,5 litros também ajuda na hora de pegar a estrada, permitindo uma autonomia superior a 200 quilômetros.

Mercado
A Suzuki oferece no país a Burgman 400 nas cores cinza, preto, vermelho e branco. Ainda sem concorrentes diretos por aqui no seu segmento, pelo menos em relação à motorização, a maxi-scooter japonesa tem boa presença no mercado nacional. Mas boa repectividade do motociclista brasileiro e o grande potencial do mercado para as scooters de médio e grande porte já chamaram a atenção da Dafra, que começou a vender no país a Citycom 300i da marca tailandesa SYM.

Serviço

Cotação de Seguro (*)
R$ 2.082,90 (à vista)
R$ 4.052 (franquia)
(*) Perfil médio: Homem, 25 a 35 anos, casado, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, morador de São Paulo e com residência em região razoável (zona sul ou zona oeste, por exemplo).

Agradecimento
Cycle Assessoria e Corretora de Seguros
Fone: (11) 3159-0733
www.cycleseguros.com.br

 

Ficha Técnica
MOTOR
Quatro tempos, monocilíndrico, quatro válvulas, OHC, refrigeração líquida, 400 cm³
POTÊNCIA 34 cv a 7.300 rpm
TORQUE 3,7 kgm a 5.800 rpm
ALIMENTAÇÃO Injeção eletrônica
CÂMBIO Automática continuamente variável - CVT
PARTIDA Elétrica
RODAS Dianteira 14” e traseira de aro 13”, em liga-leve
PNEUS Dianteiro 120/80 14 M/C 58S, sem câmara; traseiro 150/70 13 M/C 64S, sem câmara
DIMENSÕES Comprimento de 2,27 m; largura de 0,76 m; altura de 1,38 m; entreeixos de 1,59 m; distância do solo de 0,12 m; altura do assento de 0,71 m; peso em ordem de marcha 216 kg
TANQUE 13,5 litros
SUSPENSÃO Dianteira telescópica, de amortecimento hidráulico, mola helicoidal; traseira com balança articulada tipo link de monoamortecimento hidráulico, mola helicoidal, com ajustes de pré-carga da mola
FREIOS Dianteiro Duplo ventilado de 260 mm, mordido por pinça deslizante de dois pistões; traseiro com disco ventilado de 210 mm, mordido por pinça deslizante de um pistão e freio de estacionamento
Cores Cinza, preto, vermelho e branco
PREÇO R$ 26.900



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Dafra Cityclass 200i encara Honda PCX 150

Teste: Triumph Commander é uma cruiser com molho inglês

Teste: Ducati Hypermotard é moto para os fortes

Teste: Rivale 800 é uma verdadeira moto italiana

Teste: S 1000 R a naked mais potente do Brasil

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail

Teste: Dafra Cityclass 200i encara Honda PCX 150

Primeiras impressões Honda NXR Bros 160: Por que não 200 cc?

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: KTM Duke 390 tem perfil de moto grande


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras