moto.com.br

Publicidade:

Testes

BMW F 800 GS: Desempenho e boa ciclística

31 de August de 2009
Compartilhe este conteúdo:

Arthur Caldeira

A BMW R 1200 GS é um ícone entre as motocicletas aventureiras e também o modelo mais vendido da marca alemã em todo mundo. Aproveitando-se da fama da família GS, a BMW lançou em 2007 a F 800 GS. Equipada com um motor de dois cilindros paralelos e 800 cc, a “mini GS” desembarcou no Brasil no final de 2008. Dividindo com sua irmã maior atributos como versatilidade e grande autonomia, a F 800 GS tem no porte menor e preço mais acessível as vantagens para conquistar os motociclistas fãs do segmento big-trail que veem na marca alemã seu objeto de desejo.

Para criar sua aventureira de média cilindrada, a BMW colocou em prática sua arte de desenvolver vários modelos a partir da mesma base mecânica. O motor de dois cilindros paralelos, quatro válvulas por cilindro, comando duplo no cabeçote e 798 cm³ de capacidade estreou na esportiva F 800 S em 2006. De lá para cá a BMW lançou a ST, versão sport-touring, e a urbana F 650 GS que, apesar do nome, usa esse propulsor.

Porém na F 800 GS o bicilíndrico está posicionado de forma mais “reta” e não inclinado, além de trazer um sistema de refrigeração líquida mais eficiente e adequado ao uso fora de estrada. As vibrações típicas de motores com essa arquitetura ainda estão presentes, mas não incomodam. Além de trazer uma espécie de biela que reduz as vibrações, a posição do propulsor reduziu ainda mais o incômodo neste modelo. Encaixou-se tão perfeitamente à motocicleta que, se não conhecesse o histórico da marca, diria que o propulsor foi projetado exclusivamente para a aventureira F 800 GS.

A curva plana de torque – chegando ao máximo de 8,47 kgf.m a 5.750 rpm – oferece força desde as baixas rotações e exige poucas trocas no câmbio de seis marchas. O que se traduz em conforto na pilotagem e disposição para levantar a roda dianteira e encarar obstáculos nas estradas de terra. Com poucas vibrações, o motor também pode girar alto e oferecer 85 cv de potência máxima a 7.500 rpm. Desempenho interessante para a capacidade cúbica do motor e superior às motos da mesma categoria.

Ciclística apropriada

Com a proposta de ser uma aventureira para encarar qualquer caminho, a BMW dotou a F 800 GS de uma ciclística apropriada a esta missão. O quadro de aço e seção tubular oferece bastante estabilidade, seja em altas velocidades na estrada ou encarando um esburacado morro de terra. O conjunto dianteiro tem roda raiada de 21 polegadas com garfo telescópico invertido de 45 mm de diâmetro. Na traseira, roda de 17 polegadas e balança de alumínio com um único conjunto mola amortecedor. Como ambas têm longo curso (230 mm na frente e 215 mm atrás), não são um primor em curvas, porém enfrentam lombadas, valetas e buracos da cidade como se estes não existissem.

Em estradas de terra ou trilhas leves, o conjunto de suspensões absorve as irregularidades e ainda permite regulagem da pré-carga da mola traseira. Só não seria possível saltar como em pistas de motocross, mas para encarar uma aventura por estradas de terra a F 800 GS é a companheira ideal.
O único ponto negativo fica para os pneus Bridgestone Battle Wing, muito mais on que off-road. Mesmo em pisos secos de terra não demonstraram uma aderência suficiente para uma aventura mais ousada.

Porém a ciclística é completada por um excelente sistema de freios. Na dianteira, dois discos de 300 mm de diâmetro com pinça de dois pistões. Na traseira, disco único com pinça simples. Na versão testada, a F 800 GS tinha ainda o sistema ABS (anti travamento) que contribuí para frenagens seguras no asfalto e ainda pode ser desligado para incursões mais radicais no fora de estrada.

Além de todas as qualidades da ficha técnica da F 800 GS, o conjunto apresenta um baixo centro de gravidade em função da adoção do tanque de combustível sob o banco e também do posicionamento do motor. Com as massas centralizadas e o centro de gravidade mais baixo, em estradas de terra ou subidas mais íngremes, a moto mantém sua trajetória, enquanto a roda traseira derrapa em acelerações. Outro ponto positivo é seu peso relativamente baixo: 185 kg a seco e 207 kg em ordem de marcha: cerca de 30 kg a menos que a sua irmã maior, a R 1200 GS.

Conforto e tecnologia têm seu preço

Como toda moto aventureira, a F 800 GS não deixa a desejar no quesito conforto. Além do banco largo e disponível em duas alturas (850 mm e 880 mm), tem um pequeno, porém eficiente parabrisa. Contribuindo para uma pilotagem bastante confortável e por muitos quilômetros. Nesse quesito ajuda o tanque de combustível para 16 litros. Segundo o computador de bordo, presente nessa versão testada, o consumo médio foi de 17 km/litros. O que resultaria em uma autonomia de 270 km. Nada espetacular, mas bom para a categoria.

A versão topo de linha, testada, trazia ainda freios ABS e aquecedor de manoplas, que podem ser úteis em viagens à Patagônia, no inverno. Com esses equipamentos, a BMW F 800 GS Premium tem preço sugerido de R$ 57.700. Já a versão mais básica sai por R$ 51.900. Como em todo teste das motos BMW, importadas, o preço é um ponto negativo quando as comparamos com motos concorrentes. E no caso da F 800 GS não é diferente. Mais cara que as concorrentes diretas de outras marcas, vale cada centavo: caso o futuro proprietário os tenha para gastar com uma moto aventureira como essa.

Ficha técnica: 
Motor: Dois cilindros paralelos, 4 válvulas por cilindro, DOHC e refrigeração líquida
Capacidade cúbica: 798 cm³
Potência máxima: 85 cv a 7.500 rpm
Torque máximo: 8,47 kgf.m a 5.750 rpm
Câmbio: Seis marchas
Transmissão final:  corrente
Alimentação: Injeção eletrônica
Partida: Elétrica
Quadro: Multitubular em aço
Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido com 230 mm de curso
Suspensão traseira: Balança traseira monoamortecida com 215 mm de curso
Freio dianteiro: Disco duplo de 300 mm de diâmetro com pinça de dois pistões
Freio traseiro: Disco simples de 265 mm de diâmetro com pinça de um pistão
Pneus: 90/90-21 (diant.)/ 150/70-17 (tras.)
Comprimento: 2.320 mm
Largura: 945 mm
Altura: 1.350
Distância entre-eixos: 1.578 mm
Distância do solo: não disponível
Altura do assento: 880/850 mm
Peso em ordem de marcha: 207 kg
Peso a seco: 185 kg
Tanque de combustível: 16 litros
Cores: Preto/cinza e Amarelo/Preto
Preço sugerido: R$ 57.700,00 (Premium)

Fotos: Gustavo Epifanio



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste Honda CBR 500R: Diversão na medida para iniciantes

Teste: Kawasaki Z1000 mais feroz e potente

Teste MV Agusta Brutale 1090RR: Ela gosta de falar alto!

Teste Benelli TNT 899: Uma Streetfighter de alma italiana

Teste: Kawasaki ER-6n e Suzuki Gladius: escolha com a razão

Teste Harley-Davidson XL 1200 CB: Pronta para a estrada

Teste: Yamaha Tmax 530 é um scooter com alma de moto

Teste: Kawasaki Z1000 mais feroz e potente

Teste Honda CBR 500R: Diversão na medida para iniciantes

Teste MV Agusta Brutale 1090RR: Ela gosta de falar alto!

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Yamaha lança XTZ 150 Crosser e nós já avaliamos, confira!

CB 300 ou Fazer 250. Qual é a melhor?

Teste: Honda PCX 150 é um scooter que esbanja tecnologia


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras
Ducati Honda CB 600 F Hornet Motos Usadas Kawasaki Motos Novas Fazer Transalp Fipe Yamaha YZF R1 Suzuki Kasinski Moto Velocidade Srad Sundown Motos CBR Harley Davidson MotoGP BMW XT 660 Tornado 600RR Ofertas Shadow Revista Off Road

Siga-nos

ícone orkut ícone youtube ícone twitter ícone facebook ícone rss