moto.com.br
Publicidade:

Testes

Avaliamos o sistema de freios CBS da nova Honda CG 150 Titan

21 de August de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

A Honda lançou a nova CG 150 Titan 2015 com sistema de freios CBS (Combined Braking System), pela primeira vez em uma motocicleta de baixa cilindrada. A tecnologia que já estava presente nas scooters Lead 110 e PCX 150 diferenciam-se por dispor de sistema de frenagem que combina o funcionamento hidráulico e mecânico.

A princípio a tecnologia estará presente nas versões Titan ESD e EX, mas futuramente irá integrar também as versões básicas como a Fan 125 e 150, assim como a marca fez quando lançou o sistema de motor flex.

De acordo com a Honda, esta nova tecnologia irá ajudar os pilotos com pouca experiência e também os que possuem vícios de pilotagem, pois trará uma condição mais equilibrada no uso dos freios, resultando em até 20% de redução na distância da frenagem.

Á convite da montadora fomos até o CETH de Indaiatuba para testar este novo dispositivo e tirar nossas conclusões sobre o CBS em um modelo de baixa cilindrada, confira!

Aprendendo a frear
De acordo com os estudos e pesquisas realizados pela Honda em diversas regiões do Brasil, concluiu-se que muitos motociclistas não utilizam corretamente o sistema de freios nas motocicletas. E o principal fator é a não utilização simultânea dos freios, sendo acionado apenas o freio traseiro para frear a moto.

Este fato acontece principalmente em cidades do interior e também no Nordeste do Brasil. Houve casos em que os instrutores da Honda chegaram a ver motocicletas sem o manete de freio dianteiro, retirado para “evitar quedas”. Isto explica que ao sair da autoescola o piloto realmente não esta preparado para enfrentar o trânsito com segurança.

Com esta nova tecnologia os pilotos menos instruídos ou mesmo, os que possuem vícios de pilotagem, por exemplo, frear a moto com a embreagem acionada, terão uma frenagem um pouco mais eficiente, com cerca de 30% na roda dianteira.

Como funciona
O sistema CBS utilizado na Titan 150 é semelhante aos já encontrados em modelos de maiores cilindradas da Honda. No disco dianteiro ele possui três pistões, sendo que dois agem normalmente com o acionamento do manete direito e o terceiro é acionado quando pressionado o freio traseiro.

Ao acionar o pedal do freio traseiro, além dele operar freando a roda com o tambor, automaticamente ele acionará o terceiro pistão do disco dianteiro, resultando em até 30% da frenagem na parte da frente da moto. Não há risco de travamento da roda dianteira por este sistema.

No entanto, o freio dianteiro permanece o mesmo, ele não aciona o freio traseiro e pode vir a travar a roda dependendo de sua utilização. Por isso a Honda optou em permanecer com o flexível do freio dianteiro adotado na última versão da Titan, ele permite que a mangueira de freio dilate até certa medida para auxiliar as pastilhas a não travarem a roda.

Na prática
Andamos com o modelo Titan 150 CBS 2015 no CETH da Honda em Indaiatuba, dentro de um circuito montado exclusivamente para avaliarmos o novo sistema de freios. Pudemos comparar com a versão standard e comprovar a melhor frenagem no modelo.

Durante o teste utilizei várias formas de frenagem, inclusive algumas não recomendadas, a fim de verificar o sistema. Comecei freando com velocidade de 60 km/h a 0 km/h, utilizei somente o freio traseiro e realmente surpreende a forma como a moto se comporta. Com este acionamento a moto desceu a suspensão dianteira juntamente com a traseira e realizou uma parada muito mais segura do que a versão standard.

Depois, com a mesma velocidade utilizei o freio traseiro de acordo com o que muitos motociclistas fazem, freando junto com o manete de embreagem apertado. Nesta ocasião apesar de a moto demorar mais para parar devido não ter o freio motor, senti muito mais segurança, pois a moto “senta” no chão de forma progressiva e ajuda e muito os pilotos menos experientes.

Por fim, utilizei os freios da forma como deve ser feita, acionando o manete de freio dianteiro e simultaneamente o pedal traseiro. O resultado foi muito bom com uma frenagem segura e muito mais rápida que a versão standard. Em meio às curvas no circuito, também utilizei apenas o freio traseiro para confirmar se em meio à obstáculos ele também pode ser útil. A frente da moto baixa como da mesma forma quando acionamos levemente o freio dianteiro, muito interessante e deve ser uma aquisição para os modelos de baixa cilindrada.

Pode ser uma opção
A lei de ABS obrigatório nos carros já esta em vigor no Brasil desde o início deste ano, e está para ser votada a obrigatoriedade deste dispositivo também para as motocicletas. No entanto, levando em consideração que o principal fator de frenagens erradas é a não utilização do frio dianteiro, de nada adiantaria um ABS em uma motocicleta de 125 ou 150 cc, pois freando apenas o freio traseiro com o sistema antitravamento a distância de frenagem aumentaria em relação ao sistema CBS.

Este sistema começa a ser utilizado agora pela Honda Titan 150 e logo mais com certeza veremos em outros modelos e marcas no mercado brasileiro. Creio que a aceitação desta tecnologia será bem vinda por todos, principalmente pelo preço não aumentar o quanto imaginamos. Na Titan o preço subiu apenas R$ 180 em ambas as versões, e receberam também pinturas personalizadas.

Confira os dados de frenagens realizados com a Titan 150 CBS 2015 pelo Instituto Mauá

Ficha técnica

Tipo    OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar, 149,2cc
Diâmetro x curso    57,3 x 57,84 mm
Potência máxima gasolina  14,2 CV a 8.500 rpm - etanol    14,3 CV a 8.500 rpm
Torque máximo  gasolina 1,32 kgf.m a 6.500 rpm - etanol    1,45 kgf.m a 6.500 rpm
Sistema de alimentação  Injeção Eletrônica PGM FI
Relação de compressão  9.5 : 1
Sistema de lubrificação Forçada/bomba trocoidal
Transmissão 5 velocidades
Embreagem Multidisco em banho de óleo
Partida Elétrica
Ignição Eletrônica
Bateria12V – 5 Ah
Farol (alto/baixo)  35/35W    
Tanque  16,1 litros (res. 3,1 litros)
Óleo do motor  1,2 litros
Chassi Tipo  Diamond Frame
Suspensão dianteira / curso  Garfo telescópico / 135 mm
Suspensão traseira / curso  Dois amortecedores / 106 mm
Freio dianteiro / diâmetro  Disco / 240 mm
Freio traseiro / diâmetro  Tambor / 130 mm
Pneu dianteiro  80/100-18M/C 47P
Pneu traseiro  90/90 -18M/C REINF 57P 
Dimensões (C x L x A)  1.996 x 739 x 1.086 mm
Distância mínima do solo  164 mm
Distância entre eixos  1.315 mm
Altura do assento  792 mm
Peso seco  117 kg (EX) / 118 kg (ESD)



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras