moto.com.br
Publicidade:

Off-Road

X-Games Brasil: Entrevista com a piloto Marcella Gonçalves

05 de April de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

Pela primeira vez o Brasil receberá o X-Games, maior evento de esportes de ação do planeta, que acontece entre os dias 18 a 21 de abril em Foz do Iguaçu-PR. Criado em 1995 nos EUA a competição chega a sua 19ª edição e reúne os melhores atletas do mundo que competirão em quatro modalidades: Moto X, Rally, Skate e BMX.

Uma das provas mais aguardadas é a do Enduro X, que pela primeira vez será disputada aqui no X-Games Brasil. Essa prova é uma corrida de endurocross que conta com troncos, pedras, pneus, lombadas e diversos obstáculos. O Brasil terá representantes nas duas categorias, masculino e feminino. O que poucos conhecem são as nossas pilotos, que terão a difícil missão de representar o nosso país. Pensando nisso entrevistamos uma de nossas representantes, a mineira Marcella Gonçalves.

Confira agora tudo o que a mineirinha deseja alcançar no X-Games Brasil em sua primeira participação.

Moto.com.br - Além da dificuldade da prova e do alto nível das pilotos, o que você espera desta prova? Seu objetivo maior é o aprendizado ou pretende conseguir um lugar no pódio?

Sem sombra de dúvidas este é um evento inédito e único no Brasil. Será de uma enorme relevância para todos nós, já que será um evento mundial organizado pela primeira vez aqui. Minhas expectativas são as melhores possíveis. A categoria Feminina será de apenas uma única prova pelo fato de terem poucas, ao contrário da Categoria masculina que terão eliminatórias. Estamos em constante aprendizado, mas queremos sempre um lugarzinho especial no pódio. Espero me sair muito bem e conseguir finalizar a prova sem problemas.

Moto.com.br - Qual é a sensação de andar ao lado das americanas Ashley Fiolek e Louise Forsley e da porto-riquenha Tarah Gieger, que são feras no assunto e já possuem experiência no X-Games?

Nossa! Nem me fale. Fiquei super feliz em saber da participação delas aqui no Brasil. Sempre me inspirei em mulheres que correm fora do Brasil. Realmente o nível lá fora é outro. Será muito emocionante poder correr ao lado delas e tenho certeza que esta será uma experiência fantástica.

Moto.com.br - Como você está se preparando para esta disputa? A ansiedade está grande?

Desde que fiquei sabendo sobre a minha participação no X-Games, procurei aumentar o meu nível de preparo para esta competição, tanto na parte física, corporal, nutricional e psicológica, quanto na parte que diz respeito à minha saúde. Faço duas horas de academia de segunda à sexta-feira, faço uma boa e balanceada alimentação e sempre faço visitas aos meus médicos (ortopedista e cardiologista). Estou treinando todos os finais de semana em pistas de motocross, cross country e faço muitas trilhas também, além de treinar muito no extreme (troncos, pedras, pneus, etc) que é o principal foco do endurocross na competição. A ansiedade é enorme. A cada segundo que passa, fico mais apreensiva e fascinada. Estou na contagem regressiva aqui.

Moto.com.br - Você ao lado da Mariana Balbi irão representar o Brasil na categoria feminina pela primeira vez, qual é a importância disso pra você e o que os brasileiros podem esperar desta prova?

Sempre fui fã da Mariana, e desde pequena eu acompanhava as disputas dela. É muito gratificante pra mim, saber que irei representar o Brasil ao lado dela! O cenário esportivo feminino no Brasil ainda é bem decadente. Temos poucas mulheres que competem por aqui. As poucas que tem, estão bem espalhadas por todo o país. Sempre sonhei em poder correr com ela, apesar dos níveis entre nós serem ainda bem diferentes. Acho que o Brasil deveria se preocupar mais com as outras modalidades esportivas além do futebol. Representar o Brasil na categoria Feminina não será fácil, é uma responsabilidade muito grande, afinal de contas estou em uma categoria de dez mulheres no total. Muitas delas competem no X-Games e em provas mundiais há anos e já sabem bem o que fazer. Nunca competi fora do Brasil, muito menos Endurocross, faço Enduro FIM, que em partes é um pouco parecido. Estou muito confiante, e tenho certeza de que farei uma ótima apresentação.

Moto.com.br - O que achou estrutura da equipe Kavookavala Racing, você se sente preparada para enfrentar os desafios ao lado da equipe?

A Equipe Kavookavala preparou uma estrutura espetacular para o X-Games. A KR está cobrindo todos os meus gastos e sei que terei todo o apoio necessário para minha participação em Foz do Iguaçu. Juntamente com eles terei também o apoio da Rinaldi, que é mais uma novidade, eles também estarão na competição com uma ótima estrutura para me apoiar. Estou super preparada e muito confiante de que faremos juntos uma ótima estreia, a primeira de muitas...

Moto.com.br - Qual é a moto que você vai correr no X-Games? Já está acostumada com ela ou é uma moto nova? Houve algum trabalho específico de acertos na moto para esta competição?


Infelizmente não tenho condições para comprar uma moto nova e não tenho patrocínio para isso. Irei correr na mesma moto que competi o ano passado, que é a tão falada "Pink Canhão", uma KTM 250 XC-F 2012. Estou mais que acostumada, ela foi toda preparada pra mim e está pronta para estrear no X-Games. Fizemos algumas mudanças para esta competição e ela aparecerá de roupa nova também.

Moto.com.br - Após a sua cirurgia no ano passado você já voltou a competir e inclusive voltou bem. Você já esta 100% novamente?

Sim. Fiz a cirurgia em Setembro e seria liberada definitivamente pelo meu médico apenas agora no mês de Abril. Me esforcei muito para me recuperar rápido e bem. Fiz várias seções de fisioterapia e fortalecimento muscular. Em Fevereiro, uma semana antes da Copa EFX, voltei ao meu médico e perguntei sobre a possibilidade de poder competir na 1ª etapa. No início ele não gostou muito da ideia, mas acabou me liberando, mas pedindo para que eu tomasse muito cuidado, qualquer erro na prova seria o suficiente para tirar novamente o meu joelho do lugar. Fechei uma parceria com a MRPRO e estreei usando um brace orthotech que por sinal é ótimo. Fiquei exatamente cinco meses sem contato com a moto e ainda estava com dois centímetros de atrofia no joelho. Mesmo assim fui para a Copa e consegui ficar no lugar mais alto do pódio, pegando a 1ª colocação. Fiquei muito feliz com o resultado, pois achei que não conseguiria tamanha facilidade em meu retorno.

Agradecimentos

"Gostaria de agradecer primeiramente ao Moto.com.br pela oportunidade. É muito gratificante saber que estou fazendo parte desta matéria e que contribui pra que o mesmo desse certo. À todos os meus familiares, amigos e seguidores pelas torcidas e pela força. E finalmente aos meus patrocinadores e apoios, pois sem eles eu não estaria aqui hoje: Kavookavala Racing Internacional, Inter de Limeira, Léo Caçambas, Natal Motos, ASW Racing, MrPro Braces, Anker Acessórios, Rinaldi, Framax e MxGrafix."

Marcella Gonçalves #17

Fotos: Divulgação



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Zanol Team finaliza temporada 2016 com nova vitória

Equatoriano Jetro Salazar é campeão brasileiro de Motocross

Bragança Paulista recebe a final da Copa SP de Motocross

Final do Brasileiro de Motocross acontece no Paraná

Orange BH KTM fará cerimônia de premiação e entrega de duas 200 Duke

Final da Polaris Cup teve grandes disputas Off Road e show aéreo

Arena Cross: Quarta etapa define os campeões da temporada 2016

Orange BH KTM fará cerimônia de premiação e entrega de duas 200 Duke

Yamaha WR 250F 2015 traz tecnologia de MX para o enduro

Final do Brasileiro de Motocross acontece no Paraná

Piloto amputado chega em 19ª lugar no Sertões 2016

Bragança Paulista recebe a final da Copa SP de Motocross

Sertões: Pagamento em até 10 vezes na CRF 230

Honda CRF 110F chega para completar o segmento off-road


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras