moto.com.br
Publicidade:

Off-Road

Enduro da Independência 2014 - o preço da aventura

15 de September de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Roberto Brandão Filho

Populares no Brasil, os enduros de regularidade atraem amantes do motociclismo off-road de várias partes do País. A maior e mais tradicional prova da modalidade, o Enduro da Independência, já existe há 32 anos. Neste ano, mais de 400 pilotos percorreram 790 km entre os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Mas quanto custa participar de uma prova assim?

Para começar, é preciso uma motocicleta off-road preparada para a modalidade. Podem ser tanto as motos chamadas de “especiais” (importadas como KTM, Sherco e Beta) ou também as nacionais, como Honda CRF 230F e Yamaha TTR 230. Sem contar com os gastos com a compra da moto, que variam de R$ 10 a R$ 50 mil (0 km) dependendo do modelo escolhido, é muito importante que o piloto tenha todos os equipamentos de segurança.

Ou seja, antes de pensar em competir, deve-se ter o conjunto completo: joelheiras, cotoveleiras, colete, luvas, óculos off-road e, os fundamentais, botas off-road, neck-brace (protetor de pescoço) e um bom capacete. Em uma competição cujas etapas têm duração média de 7 horas por dia, é fácil perder para o cansaço e sofrer um acidente. Nessas horas, bons equipamentos de segurança vão garantir que você possa continuar a prova e, acima de tudo, não se machucar (ou minimizar as consequências). Em média, um conjunto completo de boa qualidade sai em torno de R$ 4.000, sendo a bota, o capacete e o neck-brace os itens mais caros da conta.

Adquirindo o necessário
Além da segurança, o competidor precisa comprar os equipamentos para navegação, chamados de road book (onde se encaixa a planilha) e Totem (uma espécie de computador de bordo). Já instalados, ambos custam pouco mais de R$ 2.000 e servem para todos os enduros de regularidade. Após ter tudo isso, o piloto pode, então, se inscrever em uma prova. Segundo Gustavo Jacob, o presidente do TCMG (Trail Clube Minas Gerais), que organiza o Enduro da Independência, as inscrições começam em R$ 400. E ficam mais caras ao decorrer do tempo, conforme vai se aproximando a data do evento, chegando a R$ 1.000.

Indispensável para a prova é, também, a locação do GPS junto aos organizadores, por R$ 150 para os quatro dias de competição. É esse equipamento que irá aferir os resultados de todos os pilotos no decorrer das etapas. Portanto, sem ele, não há resultado final.

Com a mão no bolso
Tirando os custos com os equipamentos necessários e a inscrição, os competidores ainda têm mais gastos, como hospedagem, equipe de apoio e alimentação. Existem diversas maneiras de disputar o Enduro da Independência. O experiente piloto Hugo Morato, 53 anos, campeão da categoria Over 50 deste ano, já sabe qual é o melhor “esquema” para encarar o Independência. “Depois de 30 anos competindo nesse grande enduro, aprendi a melhor maneira de vir, competir e ainda por cima me divertir bastante”, confessou o belorizontino.

Segundo ele, depois de sofrer anos sem apoio e gastar as poucas economias que tinha, com a experiência adquirida durante as três décadas disputando a prova, agora não gasta mais de R$ 1.000 para participar. Como? Ele e mais alguns amigos, cerca de 10, alugam um motor-home e dividem os gastos com mecânico e cozinheiro, incluindo alimentação e combustível. Além de economizar, Morato ainda afirma que dessa maneira é mais divertido competir. “O Enduro da Independência é muito mais que uma competição. É um lugar para confraternizar, conhecer novas trilhas e fazer novos amigos. Por que acima de tudo, nós, 'treieiros' estamos no mesmo barco e queremos nos divertir. Claro que vencer é o objetivo final, mas sem amigos e diversão, a competição não teria a mesma graça”, completou o campeão.

No outro extremo, o estreante Thyago Rocha, de Niterói (RJ), foi com seu próprio carro carregando a sua moto e de seu amigo (ambos da categoria Novatos) na caçamba e eles mesmos faziam o papel de mecânico. Ficou hospedado em hotéis ou pousadas nas cidades em que a prova passou e por isso seu gasto foi um pouco maior. “Como foi minha primeira vez no Enduro da Independência, ainda não conhecia os macetes e vim com um amigo. Gastamos com tudo. Desde alimentação e hospedagem até o combustível (das motos e do carro). No total, desembolsamos cerca de R$ 3.000 cada um”, afirmou. “Mas no fim, valeu muito a pena. Cheguei na terceira colocação na minha categoria logo na estreia no Enduro da Independência, apenas seis meses depois de ter começado a 'planilhar'. Com certeza voltarei, dessa vez gastando menos”, finalizou Rocha.

O que é o Enduro da Independência?
O Enduro da Independência é o maior enduro de regularidade do mundo. Para quem não conhece, a prova é realizada há 32 anos, tem duração de quatro dias e termina sempre no feriado da Independência, dia 7 de setembro. O enduro de regularidade é uma modalidade de motociclismo off-road criada no Brasil e consiste em uma prova cujo vencedor é aquele que consegue percorrer o trajeto determinado, utilizando uma planilha, e chegar ao destino o mais próximo possível (ou cravado) do tempo ideal, estipulado pela organização, respeitando velocidade média e referências.

O roteiro escolhido, assim como em 2013, foi o da Rota Imperial. No entanto, em 2014 foi feito o caminho contrário, saindo de Mariana (MG) com destino a Vitória (ES). O trajeto, cujo nome completo é Rota Imperial São Pedro D’Alcântara, foi concluído em 1816 e era utilizado por Dom Pedro II, então imperador do Brasil, para transportar riquezas e mantimentos entre o Espírito Santo e Minas Gerais. A Rota Imperial tem 575 km de extensão e passa por 14 municípios capixabas e 17 mineiros.  



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Arena Cross: Organização divulga calendário de 2017

Marc Marquez domina edição 2016 do Dirt Track Barcelona

Falta um mês para o fim das inscrições no Rally Piocerá

Campeões do Cerapió vão disputar o Rally Piocerá 2017

Definidos os campeões 2016 da Copa SP de Motocross

Superprestigio DTX promete agitar pilotos na Espanha

Zanol Team finaliza temporada 2016 com nova vitória

Categoria UTV segue crescente no Brasil

Rally Baja Jalapão 500 está com inscrições abertas

Kawasaki KLX 140L desembarca no Brasil

Arena Cross: Londrina tem motocross noturno nesse sábado

10 dicas para pilotar sua big-trail na terra

Marc Marquez domina edição 2016 do Dirt Track Barcelona

Honda CRF 110F chega para completar o segmento off-road


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras