moto.com.br
Publicidade:

Off-Road

Copa EFX: Adrien Metge supera tempo ruim

01 de June de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Dia de chuva significa dia de grandes desafios e disputas nas trilhas. E o último domingo (31/05) foi bem assim nas disputas válidas pela segunda etapa da Copa EFX Brasil de Enduro, em Arujá (SP), com chuva, solo molhado e escorregadio e muita dificuldade. O clima não ajudou em nada, só apimentou ainda mais a briga por pontos fundamentais na corrida pelo título da temporada. Se deu melhor quem soube fazer uma pilotagem segura, como o francês Adrien Metge, vencedor geral da prova e da categoria Elite. 

Competindo com concorrentes que vivem ótima fase, ele tratou de usar a experiência e o conhecimento da região para terminar na frente. Com isso, entra diretamente na briga pela liderança do campeonato. Metge cumpriu a prova em 29min12s12, uma diferença de quase 23 segundos para o segundo colocado, Rômulo Bottrel. "Essa é uma região que conheço bem. No ano passado fiquei treinando aqui. Hoje foi diferente porque choveu muito, então, estava muito liso. Estou acostumado com todo tipo de terreno e consegui andar bem. Só errei um pouco na primeira volta na seção de pneu, mas quase todo mundo errou. Estava bem difícil", confessou.

Adrien conta que se sentiu dolorido por conta do esforço. "Estou um pouco machucado. Na semana passada fiz um Enduro de Regularidade e bati muito forte o peito. Como hoje estava bem liso e tinha buracos, está doendo", acrescentou.

Devido ao solo molhado, foi preciso fazer algumas mudanças no percurso, para manter a segurança de todos. A decisão foi acertada, na opinião do francês. "A organização cortou um pedaço de uma trilha porque muitos acabaram ficando lá por muito tempo. Foi preciso porque para os que estavam atrás, estava muito difícil fazer a volta. Mesmo com as dificuldades do clima, acho que a organização conseguiu fazer uma boa corrida."

Rômulo Bottrel chegou a Arujá com a liderança geral e da categoria Elite, mas a vitória de Adrien dificultou um pouco as coisas para o mineiro, que não teve um dia 100%. "As coisas complicaram um pouco. Com o Adrien em primeiro e o Ian em terceiro, vai dar uma misturada boa no campeonato. A primeira especial do dia, o primeiro Cross teste, não consegui fazer tão rápido quanto o Adrien nesse terreno de lama. Nas outras voltas, consegui tirar um segundinho no Extreme. Na última, consegui empatar com o Adrien, então, acho que fiquei em segundo por conta dessa primeira especial", analisou.

Apesar das dificuldades impostas pelo terreno molhado, o mineiro gostou da competição. "A trilha estava bem molhada. Choveu bastante durante a noite e aqui já é uma região um pouco úmida. Ficou bem escorregadio, mas estava legal. As especiais foram espetaculares. Essa foi uma prova bem disputada, mas tem muito campeonato pela frente ainda. É apenas a segunda etapa", concluiu.

Direto do Estados Unidos, Ian Blyte ainda está se acostumando com as competições brasileiras, mas já mostrou que chegou para brigar com os 'mais experientes' em provas nacionais. Neste domingo, ele faturou o terceiro lugar da Elite, com 30min35s82. "Foi interessante. Eu estava muito animado. O Cross Teste foi muito legal. Infelizmente, com a chuva, não fizemos o Enduro Teste, o que me deixou desapontado. Eu cometi muitos erros durante o Extreme Teste nas duas primeiras voltas, estava pilotando bem durante todo o dia, mas saí um pouco do foco e perdi muito tempo. Perdi a corrida hoje, mas me diverti e na última volta fiz alguns bons testes", avaliou o norte-americano.

Além dos pilotos da Elite, a etapa recebeu um bom número de destemidos competidores em várias categorias, que enfrentaram com muita garra as trilhas cheias de lama. Na Júnior, a vitória ficou com Bruno Crivilin, que também se deu bem na geral. "É a primeira prova da EFX que eu corro. No ano passado não competi. Gostei muito, é bem organizada, muito bem sinalizada. Apesar da chuva, ficou bem legal, lisa e divertida de andar. Consegui ficar em primeiro na minha categoria e fiz um excelente resultado geral, ficando em terceiro. Quero terminar o resto do campeonato. As trilhas de São Paulo são um pouco diferentes do que estou costumado, são mais lisas, não tem muitas montanhas, mas são bem legais. Nunca tinha passado em um Extreme como esse. É muito criativo", analisou o capixaba.

Diego Colett consegui fazer uma boa corrida e se garantiu em primeiro na E1, mantendo a invencibilidade na categoria. "Foi uma prova complicada, lisa, com chuva e frio. O clima parece o do Sul do país. Mas, gostei das especiais. Estavam bem montadas, divertidas de andar. Pretendo fazer todo o campeonato", contou.

Na Feminina, Janaína Souza ainda é uma 'pedra no sapato' das concorrentes e terminou a etapa de Arujá sem dar muitas chances às demais. "Hoje estava muito técnico, com muita lama. Tinha que andar esperta para não fazer besteira, não cair e se machucar. Tinha que andar mais ligada, no trilho, porque senão, havia uns buracos grandes, que se a moto ficasse ali, era perigoso perder a prova. Procurei andar com cabeça. Em um dos trechos, umas 20 motos ficaram enroscadas e eu acabei ficando para trás. Isso me fez atrasar uma hora no CH. Nunca aconteceu isso comigo. Consegui fazer bem o Extreme. Na primeira volta eu cai, na segunda já fiquei mais esperta. Consegui manter a invencibilidade no campeonato e, agora, é esperar a próxima etapa."

A E2 teve a vitória de Ruan Marra, a E3 de Otávio Carradori, a E4 de Bruno Martins, a Over 35 de Dário Júlio, a Over 45 de Alencar Krefta, a E5 de Thyago Roch, a E6 de Rodrigo de Mendonça, a E7 de Luis Fernando Cler Pinheiro e a E8 de Gilson Fernandes. Entre as equipes, o Zanol Team Rinaldi ASW foi o vencedor.

Para a organização, o trabalho valeu mais que a pena, afinal, todos os pilotos saíram satisfeitos e já ansiosos pela próxima disputa. "Depois de um tempo parados, retornamos com nosso estilo de sempre que é prova com chuva", brincou Fábio Simões, diretor do Adrenatrilha Trail Club. "Mais uma vez tivemos chuva, mas graças a excelente equipe que temos saiu tudo bem, mesmo com as dificuldades do terreno molhado", finalizou.

A Copa EFX Brasil é realizada pelo Adrenatrilha Trail Club, conta com o patrocínio da Honda, o co-patrocínio da Rinaldi e ASW e apoio da Motofield, Sorridents (unidade Arujá), Dust Off Road, Sacramento, Sig Visual, Dahna Comércio de Areia e Pedra, MR Pró Racing, Nova Minas Express, Stocovich e Dutra 100.

Resultados da segunda etapa da Copa EFX Brasil

Elite
1. 3 Adrien Metge, 0:29:12,01
2. 1 Rômulo Bottrel, 0:29:34,10
3. 2 Ian Blythe, 0:30:35,08
4. 6 Rígor Rico, 0:32:46,09
5. 4 Michel Cechet, 0:34:33,01

Junior
1. 14 Bruno Crivilin, 0:30:24,04
2. 9 Vinicius Calafati Ribeiro, 0:31:23,08
3. 11 Tunico Maciel, 0:31:27,03
4. 8 Ronald Santi, 0:32:41,06
5. 10 Vinicius Luis Lopes Da Silva, 0:34:09,00

Enduro 01
1. 15 Diego Baesso Colett, 0:33:25,02
2. 18 Renan Bueno Da Silva Filho, 0:34:37,07
3. 16 Evaldo Tavares Nespoli, 0:34:47,03
4. 17 Rafael Toaldo, 0:37:08,03
5. 23 Pedro Ferreira Pena Lima, 0:37:20,05

Enduro 02
1. 24 Ruan Marra Pire,s 0:35:39,08
2. 27 Claudiney Da Silva Couto, 0:38:30,01
3. 35 Valdemir Rodrigues Leite, 0:39:49,05
4. 26 Tiago Filippo, 0:44:23,06
5. 30 Julio Rodrigues Da Costa, 3:20:11,02

Enduro 03
1. 31 Otavio Augusto Carradori, 0:35:28,00
2. 34 Rodrigo Rivello, 0:55:44,10
3. 33 Clodoaldo Shoji Uemura, 4:09:32,08
4. 32 Douglas Kawabe, 4:16:00,00

Enduro 04
1. 36 Bruno Batista Martins, 0:31:46,05
2. 38 Vitor Martins Menino, 0:53:29,09
3. 39 Andre Ricardo Costa Lima, 2:54:22,10
4. 46 Marcio De Toledo Pereira, 3:42:17,10
5. 40 Fernando Cozzi, 4:08:09.62

Over 35
1. 41 Dario Julio, 0:34:51,06
2. 42 Rodolfo Ripamonti, 0:37:47,01
3. 43 Marcio Leandro Spaca Di Paolo, 0:38:21,07
4. 45 Henry Horita, 0:40:03,09
5. 50 Pieter Boersen Neto, 3:42:38,08

Over 45
1. 54 Alencar Krefta, 0:51:41,09
2. 59 Luiz Toaldo, 0:56:28,02
3. 64 Jeferson Colantonio, 1:03:45,03
4. 61 Butu José Antonio Ramos Cadima, 1:08:58,03
5. 52 José Roberto Polaz, 3:04:34,05

Enduro 05
1. 66 Thyago Silva Correa Da Rocha, 0:39:27,04
2. 73 Guilherme Ambrosio Medeiros, 0:44:24,01
3. 71 Francis Felipe Tonon Da Silva, 0:52:19,01
4. 78 Edson Teruhiko Minami, 0:53:03,07
5. 68 Vitor Zanettin Santos, 1:12:36,07

Enduro 06
1. 100 Rodrigo Teixeira De Mendonça, 0:42:58,08
2. 97 Carlos Eduardo Bassi, 0:43:56,06
3. 89 Lucas Lanes Santos, 0:44:04,10
4. 104 Nelson Cruciani Neto, 0:45:01,08
5. 91 Pedro Vani Pereira Junior, 0:46:40,05

Enduro 07
1. 113 Luiz Fernando Cler Pinheiro, 1:11:07,05
2. 115 Alberto Piva Santos, 1:11:43,05
3. 112 Leonardo Matuno Malagutti, 1:40:15,09

Enduro 08
1. 37 Gilson Fernandes, 0:42:30,04
2. 131 Luiz Felipe Duarte, 0:56:29,06
3. 129 Felipe Toledo Da Matta, 0:56:57,10
4. 119 Marcos Adriano Ferreira, 1:07:05,01
5. 122 Valter Gonçalves Junior, 1:09:47,08

Feminina
1. 139 Janaina Souza, 0:54:31,06
2. 140 Tainá Aguiar, 1:20:45,02
3. 142 Lucianna Timm, 1:36:00,00
4. 143 Cristiane Pereira, 1:47:00,00
5. 146 Karinna Gross, 2:36:00,00
6. 141 Lilian Chagas, 2:36:00,00

Resultado por Equipes

1. Zanol Team Rinaldi ASW
1 Rômulo Bottrel
36 Bruno Batista Martins
10 Vinicius Luis Lopes Da Silva

2. Honda
3 Adrien Metge
11 Tunico Maciel
41 Dario Julio

3. Honda Motofield
8 Ronald Santi
18 Renan Bueno Da Silva Filho
139 Janaina Souza

4. Galerado Cross
42 Rodolfo Ripamonti
45 Henry Horita
12 Lucas Yoshio Ohara

5. Multracing
43 Marcio Leandro Spaca Di Paolo
104 Nelson Cruciani Neto
64 Jeferson Colantonio



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Final do Brasileiro de Motocross acontece no Paraná

Orange BH KTM fará cerimônia de premiação e entrega de duas 200 Duke

Final da Polaris Cup teve grandes disputas Off Road e show aéreo

Arena Cross: Quarta etapa define os campeões da temporada 2016

Piocerá: Competição Off Road completa 30 anos em 2017

Sertões: Inscrições com desconto até 30 de novembro

Amador de Motocross teve grande final na temporada 2016

KTM lança série especial de motos de enduro no Brasil

Maiara Basso é vice-campeã do Latino-Americano de Motocross

Amador de Motocross tem grande final neste domingo

Ilhabela recebe grande final da temporada 2016 do Arena Cross

Piocerá: Competição Off Road completa 30 anos em 2017

Latino-Americano de Motocross: Maiara Basso é representante do Brasil

Yamaha WR 250F 2015 traz tecnologia de MX para o enduro


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras