moto.com.br
Publicidade:

Motovelocidade

MotoGP: Comissão anuncia as novas regras para 2013 e 2014

21 de December de 2012
Compartilhe este conteúdo:

Regulamentos Esportivos e Disciplinares

Efeito Imediato:

Foi reconhecida a necessidade de abordar o problema dos pilotos que estão constantemente sendo avisados, ou penalizados, por colocarem em perigo outros pilotos, ou por cometerem outras ofensas sérias, como ataques a comissários, ou outros oficiais. Para resolver este problema foi aprovado novo sistema de Pontos de Penalização.

A Direção de Corrida pode penalizar um piloto com determinado número de Pontos de Penalização de um a dez. Esta penalização pode ser aplicada no lugar de, ou em adição a outra penalização. Os pontos “são somados” ao longo da temporada e quando se atinge determinados totais são aplicadas as seguintes penalizações de forma automática:

- Quatro Pontos - Parte para a próxima corrida do final do grid
- Sete Pontos - Parte para a próxima corrida dos boxes
- Dez Pontos - Desclassificação do evento seguinte

Uma vez aplicada a penalização prevista para os dez pontos o total volta a Zero. Os pontos não transitam para a temporada seguinte.

Várias alterações ao procedimento de partida foram aprovadas:

- A abertura dos boxes é acompanhada de bandeira verde à saída dos boxes em adição à já existente luz verde.
- Não será apresentada bandeira vermelha na frente do grid após a conclusão da volta de apresentação.
- Os aquecedores de pneus têm de ser removidos de imediato logo após a apresentação da placa de um minuto.

Após a aprovação do novo procedimento de qualificação para a classe da MotoGP é também necessário determinar o critério para participação na corrida – a regra dos 107%. Para poder alinhar nas sessões de qualificação um piloto tem de atingir um tempo melhor que 107% da marca do piloto mais rápido em qualquer uma das quatro sessões de treinos livres.

Já não é possível qualificar-se para a corrida com base nos tempos do warm-up. Os pilotos nomeados como substitutos de um piloto lesionado após a realização de algumas sessões de treinos livres e que não tenham atingido os 107% serão autorizados a participar na Qualificação 1, onde têm de atingir um tempo de qualificação.

Os pilotos que alinharem na sua primeira corrida da temporada e não estiverem presentes no briefing da FIM podem incorrer em penalização, mas já serão automaticamente desclassificados.

A responsabilidade de acender as luzes vermelhas traseiras em condições de chuva cabe agora as equipes. Não serão apresentadas placas.

Já não é necessário notificar uma equipe e obter o reconhecimento da mesma por parte da equipe quando há imposição de penalização de passagem pela via de boxes devido a falsa partida. A informação da penalização será apresentada ao piloto na linha de partida e incluída na página de informação dos ecrãs de cronometragem.

Deixa de existir uma multa mínima que a Direção de Corrida pode aplicar. O máximo da multa é agora de 50.000, euros.

Regulamentos Técnicos

MotoGP

Efeito Imediato:
Não são permitidas rodas de Compósito de Carbono. (Como é já o caso na Moto3 e Moto2).
A exceção garantida às inscrições CRT de 2012 para poderem usar discos de freios de diâmetro diferente dos 320mm especificado nos regulamentos não transita para 2013.

Será introduzida uma distribuição de pneus revista. Por princípio, os pilotos vão receber um pneu traseiro adicional e o frontal “macio” oferecido como opção em 2012, mas não usado, não estará disponível. Neste caso, a exceção respeitante à distribuição de diferentes graduações de pneus frontais em circuitos específicos será cancelada. A decisão final da composição da distribuição dos pneus será tomada após o teste oficial de Sepang de 5 a 7 de Fevereiro.

Neste contexto, o fornecedor oficial de pneus vai facultar um traseiro “macio” para uso das CRT.

Efeito em 2014:

Foi aprovado um processo de homologação das especificações do motor “congelado”. Foi confirmado que esta regra não se aplica às CRT e que diferentes equipes que usem a mesma marca de máquina MSMA podem ter os seus motores homologados com especificações diferentes.

Efeito em 2015:

O preço máximo que pode ser cobrado pelo fornecimento de freios e suspensões será imposto. Estão também a ser levadas a cabo investigações com o objetivo de regular preços para “serviços contratados” para os mesmo produtos.

Classes de Moto3 e Moto2

Efeito Imediato:

O sistema de mudanças rápidas [caixa de velocidades] da classe de Moto2 tem de ser aprovado pelo Diretor Técnico.

A distribuição de pneus para a classe de Moto2 é alterada. De futuro, os pilotos terão disponíveis os seguintes limites de pneus:

8 frontais de duas especificações padrão.
9 traseiro de duas especificações padrão.

As especificações em si serão determinadas pelo fornecedor oficial e todos os pilotos receberão lotes iguais. Os números frontais de competição nas máquinas de Moto3 e Moto2 têm de ter uma separação mínima de 10mm entre números de dois algarismos. Não são permitidos fundos refletores.

Efeito em 2014:

Para garantir que as equipes de Moto3 são fornecidas com motores da mesma especificação a preços razoáveis foi acordado que os motores serão fornecidos através do organizador da competição e distribuídos aleatoriamente. Os momentos não serão devolvidos para manutenção, mas serão mantidos pelas equipes para outros fins, ou venda, assim que atingirem a quilometragem normal.

Continuam a decorrer discussões sobre o número máximo de pneus permitidos e a rotina e pequenas manutenções que serão permitidas e os regulamentos finais serão anunciados durante o GP do Qatar de 2013.

Serão impostos preços máximos para máquinas completas de Moto3 e os preços máximos dos chassis e principais componentes das classes de Moto3 e Moto2 serão especificados. Uma vez mais, os regulamentos finais serão anunciados durante o GP do Qatar de 2013.

Foto: Divulgação

 



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Alex Barros vence e dá show na final do Superbike Brasil

SBK Brasil: Diego Faustino vence a temporada 2016 na SuperBike PRO

SBK Brasil: Interlagos vai definir os campeões em 2016

MotoGP define o calendário da competição em 2017

SBK Brasil: Quatro categorias já têm campeões definidos

ICGP: Guy Bertin é o grande campeão na temporada 2016

SBK Brasil: Última etapa acontece em Interlagos em dezembro

SBK Brasil: Diego Faustino vence a temporada 2016 na SuperBike PRO

Copa Red Bull convoca 23 nomes para a temporada 08

SBK Brasil: Interlagos vai definir os campeões em 2016

SBK Brasil: Quatro categorias já têm campeões definidos

Entenda como funciona um Track Day

SBK Brasil: Mudança de calendário e circuitos na temporada 2016

ICGP: Guy Bertin é o grande campeão na temporada 2016


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras