moto.com.br
Publicidade:

Motovelocidade

Moto 1000 GP: Vitória emocionante de Matthieu Lussiana

27 de July de 2015
Compartilhe este conteúdo:

A quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade de 2015, com a realização do GP Campo Grande, no Autódromo Internacional de Campo Grande (MS), no último domingo (26/07), trouxe para o público mais uma disputa histórica pela vitória na categoria principal GP 1000.

O vencedor da etapa foi definido a duas curvas da bandeirada final. A vitória, pela terceira vez no ano, foi conquistada pelo atual campeão Matthieu Lussiana, piloto francês da BMW Motorrad Petronas Racing.

Lussiana, que somou também os pontos de bonificação pela autoria da volta mais rápida da corrida e pela conquista da pole position, cruzou a linha de chegada, depois de 16 voltas de disputa, com vantagem de 37 milésimos de segundo sobre o argentino Diego Pierluigi, piloto da Kawasaki da JC Racing Team. A terceira posição coube ao também argentino Luciano Ribodino, que voltou ao Moto 1000 GP defendendo a mesma equipe de Lussiana.

Já cumpridas quatro das oito etapas da quinta temporada do Moto 1000 GP, Lussiana tem 28 pontos de vantagem sobre o vice-líder Pierluigi na tabela do campeonato. O terceiro na pontuação é o português Miguel Praia, que teve de cumprir uma corrida de recuperação em Campo Grande depois de cair de segundo para sétimo na largada e levou a Honda da Center Moto Racing Team ao quarto lugar no resultado final da etapa.

Lussiana teve desempenho eficiente na largada e manteve-se à frente. Seu companheiro de equipe Luciano Ribodino ultrapassou Miguel Praia e já era segundo colocado na primeira curva da corrida. Sua pretensão de pressionar o líder francês, contudo, esbarrou no bom início de corrida de Wesley Gutierrez, que largou em sexto e completou a primeira volta em segundo. Diego Pierluigi superou Ribodino na segunda volta.

Gutierrez, na primeira fase da prova, tinha um ritmo ligeiramente mais forte que o de Lussiana. Descontando um décimo de segundo por volta, esteve a 1s310 da liderança. O francês reagiu na quinta volta e ampliou sua margem a 1s759, passando a 1s943 na sexta. A essa altura, a principal preocupação de Gutierrez era a pressão que ele recebia de Pierluigi. Preocupação pertinente: o argentino ultrapassou o brasileiro na nona volta.

Enfrentando problemas de equilíbrio com a moto número 47, Gutierrez acabou saindo da pista ao fim da reta dos boxes na abertura da 11ª volta. Seu infortúnio devolveu Ribodino à terceira posição e permitiu a Praia assumiu o quarto lugar. Lussiana perdeu tempo na negociação com o tráfego e, com isso, Pierluigi aproximou-se para disputar diretamente a liderança – no complemento da 12ª volta, a diferença entre os dois era de 0s588.

Lussiana enfrentava dificuldades com seu equipamento. Teve reações adversas da moto em duas curvas consecutivas na 13ª volta. Pierluigi assumiu a liderança e fechou a volta 13 com vantagem de 0s368, diferença que evoluiu a 0s562 na volta 14 e a 0s290 na 15. Os dois abriram a última volta juntos. Lussiana conseguiu a ultrapassagem sobre Pierluigi retardando uma frenagem a duas curvas do fim da corrida. Venceu com margem de 0s037.

Na classe GP 1000 Evo, destinada aos pilotos que têm suas carreiras em fase de ascensão, Diego Pretel colocou a Ducati da DRT na liderança logo após a largada, para mantê-la até o fim. O pole Nick Iatauro, do Team Suzuki-PRT, caiu para terceiro no início, recuperou uma posição na segunda volta e a diferença entre os dois passou a oscilar em cerca de dois segundos, com o desempenho alternado dos dois pilotos ao longo das 16 voltas.

Pretel chegou à segunda vitória no ano – ele havia vencido na abertura da temporada, em Curitiba. O resultado o fez chegar a 70 pontos, agora a nove do líder Iatauro, vencedor das etapas de Cascavel e Goiânia. O paranaense Victor Moura terminou em terceiro com a BMW da M2B Racing e mantém essa mesma colocação no campeonato, com 56 pontos.

As ações promocionais desenvolvidas pela direção do Moto 1000 GP e pelas marcas parceiras na competição levaram um público superior a 21.000 torcedores ao autódromo. “Foi uma etapa de inovações. Em termos de participação do público, foi uma das melhores das cinco temporadas do Moto 1000 GP”, definiu o promotor da competição, Gilson Scudeler.

A quinta etapa da temporada 2015 do Moto 1000 GP está programada para acontecer no dia 30 de agosto no Autódromo Internacional de Curitiba.

MOTO 1000 GP – GP CAMPO GRANDE – GP 1000
(Resultado da quarta etapa do Brasileiro após 16 voltas)
1º) Matthieu Lussiana (FRA/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, 23min10s806
2º) Diego Pierluigi (ARG/Kawasaki), JC Racing Team, a 0s037
3º) Luciano Ribodino (ARG/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, a 2s686
4º) Miguel Praia (POR/Honda), Center Moto Racing Team, a 5s254
5º) Wesley Gutierrez (PR/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 14s097
6º) Sebastiano Zerbo (ITA/Kawasaki), Target Race Superbike Team, a 42s109
7º) Philippe Thiriet (MG/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 52s429
8º) Diego Pretel (SP/Ducati), classe Evo, DRT, a 55s731
9º) Nick Iatauro (SP/Suzuki), classe Evo, Team Suzuki-PRT, a 58s963
10º) Victor Moura (PR/BMW), classe Evo, M2B Racing, a 1 volta
11º) Marcos Salles (PR/Honda), classe Evo, MS Racing Team, a 1 volta
Melhor volta: Lussiana, na 5ª, 1min26s056, média de 146,960 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Após quatro etapas, a classificação do Brasileiro de Motovelocidade na categoria GP Light é: 1º) Matthieu Lussiana, 101 pontos; 2º) Diego Pierluigi, 73; 3º) Miguel Praia, 60; 4º) Wesley Gutierrez, 51; 5º) Sebastiano Zerbo, 37; 6º) Danilo Lewis, 32; 7º) Sebastian Porto, 29; 8º) Nick Iatauro, 23; 9º) Diego Pretel e Philippe Thiriet, 22; 11º) Marco Solorza, 19; 12º) Luciano Ribodino e Martín Solorza, 16; 14º) Victor Moura, 15; 15º) Marcos Salles, 10. 

DEMAIS CATEGORIAS
Na categoria GP Light, a vitória no GP Campo Grande coube a Marcelo Dahmer, que largou da pole position e liderou de ponta a ponta. O pódio teve pilotos de três marcas de motocicletas. Além de Dahmer, que pilota a Honda da K Racing, a premiação acolheu o paranaense Rafael Nunes, do Team Suzuki-PRT, e o brasiliense Henrique Castro, inscrito com a Kawasaki da City Service BSB Motor Racing, que foram segundo e terceiro.

A GP 600 manteve o domínio de Eric Granado na temporada de 2015. O piloto paulista da GST Honda Mobil Super Moto largou da pole e venceu pela quarta vez, tornando-se o terceiro maior vencedor da história da categoria. Em segundo terminou o paranaense Joelsu Mitiko, com a Kawasaki da Paulinho Superbikes. O terceiro colocado foi o brasiliense Ian Testa, com a Kawasaki da equipe Motonil Motors-PDV Brasil.

A Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros comemorou no GP Campo Grande a primeira dobradinha de 2015 da categoria de formação de pilotos GPR 250. A vitória coube ao goiano Brian David, neste ano representando Mato Grosso do Sul. O cearense José Duarte, seu companheiro de equipe, foi o segundo. Em terceiro ficou o paulista Ton Kawakami, da Playstation-PRT, que se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

SBK Brasil: Interlagos vai definir os campeões em 2016

MotoGP define o calendário da competição em 2017

SBK Brasil: Quatro categorias já têm campeões definidos

ICGP: Guy Bertin é o grande campeão na temporada 2016

SBK Brasil: Última etapa acontece em Interlagos em dezembro

MotoGP: Gatas no paddock do GP da Espanha

MotoGP: Viñales da Yamaha lidera treinos da temporada 2017

Pé Na Tábua teve show de motos clássicas em Barra Bonita (SP)

Final do Brasileiro de Supermoto acontece neste final de semana

Piloto Márcia Reis anuncia estreia de seu novo site

SBK Brasil: Última etapa acontece em Interlagos em dezembro

Entenda como funciona um Track Day

ICGP: Guy Bertin é o grande campeão na temporada 2016

SBK Brasil: Pierluigi e Solorza vencem 8ª etapa, que teve rodada dupla


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras