moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Giglio Val

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

27 de October de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Giglio Val

Começo minha coluna fazendo menção a triste morte do piloto Daniel Lenzi, ocorrida em virtude de grave acidente nos treinos do Moto 1000GP, na prova realizada em 26 de outubro, no Autódromo de Curitiba. É impossível desafiar as leis da natureza sem correr riscos, mas podemos lutar por ter pistas cada vez mais seguras. Lenzi era uma dos pilotos mais queridos do grid, muito simpático com todos.

Na Malásia, assistimos a uma corrida quase típica. Não foi 100% típica porque era a Malásia, circuito maravilhoso, muito rápido e técnico, e que nos trás sempre lembranças muito fortes, como a consagração de títulos mundiais, ou mesmo o trágico acidente de Marco Simoncelli.

Marc foi o pole uma vez mais, pulverizando mais um recorde da competição. 13 poles em uma só temporada. Moto por moto, não justifica isso. Outros gigantes também tiveram fantásticas motos, mas não o fizeram.

Gostando dele ou não, este jovem é um fenômeno.

Marc largou mal, e com Dani e Lorenzo na mesma fila, é certeza de chegar na primeira curva atrasado, e assim foi.

De fato Marc se enrosca um pouco com Lorenzo na primeira curva, e tem de abrir muito, mergulhando no grid, chegou a estar em 8º, mas rapidamente começa a se recuperar.

Dovi o Rossi, a dupla macarronesca, largam muito bem e já formam junto com Pedrosa o pelotão de frente. Lorenzo já vinha em quarto, e começa a partir para cima. Com alguma rapidez Lorenzo assumi a ponta, seguido por Dani, que estranhamente cai na segunda volta, no curvão de entrada da grande reta. Não é comum ele cair assim!

Já nas primeiras voltas a dupla da Yamaha liderava, com Rossi em segundo, ainda acompanhado de Dovi, mas Marc em franca recuperação o passa e vai para cima das “azules”.

Neste momento é Rossi quem se aproxima muito de Lorenzo, e parecia mais um déja-vu da corrida anterior... Eu tinha neste momento um palpite de que Rossi passaria e venceria mais esta...

De fato, Valentino estava muito sólido, com sua pilotagem limpa e agressiva.

Realmente ele passa Lorenzo, após segui-lo de perto por várias voltas, e Marc, em 3º, que vinha em modo “segurança”, depois de duas quedas consecutivas, parecia aguardar o desenrolar das duas Yamaha... Com a disputa das duas M1, ele pôde acompanhar de perto sem muito esforço, mas assim que Rossi passou e começou a abrir de Lorenzo, ele ativou o botão “formiga atômica”, e passou por Lorenzo com alguma rapidez e foi atrás do italiano.

Neste momento, eu ainda pensava que Rossi venceria... ele estava muito rápido e seguro na sua tocada. Lorenzo é quem já tinha dado sinais de que não aguentava aquele ritmo. Sua escolha de pneu duro na frente não parecia trazer vantagens. Mesmo no calor infernal da pista.

Lá atrás Dani que retornou, já estava em 11º quando... caiu de novo e tchau!

As Ducati tiveram problemas técnicos, Dovi com o motor falhando e pane elétrica na de Crutchlow. Mas, Dovi conseguiu terminar em 8º.

Lá na frente, Marc se aproxima de Rossi, e passa, sendo que o italiano dá muito combate, e o segue de muito perto todo o tempo, mas a 3 voltas do final, sente que já não tem ritmo para acompanhar a endiabrada Honda 93, e se contenta com o 2º, aliás excelente resultado.

Marc vence pela 12º vez no ano, igualando o recorde de Doohan. Se vencer em Valência, fica com mais este recorde! Isso porque é só o segundo ano dele!

Viñales venceu no Moto2 , sua 4º vitória no ano... ele é muito bom e fará dupla com Aleix na Suzuki no próximo ano na categoria principal.. Rabat que chegou em 3º sagrou-se campeão mundial no Moto2.

Vazquez venceu no Moto3, e como Marquez (Alex) chegou em 5º, a decisão do campeonato fica para a última etapa... Aliás coerente com a competitividade da categoria.

O campeonato está no fim... Malas prontas para a última etapa em Valência.

Giglio Val é engenheiro e administrador de empresas. Fundou o Blog do Giglio (gigliof1.blogspot.com), que trata do mundo das competições. Foi patrocinador principal e manager do piloto brasileiro Danilo Lewis, que correu o Italiano de Stock 600cc Michelin Power Cup em 2011 e o SuperBike no Brasil 2011 e 2012, assim como o WSBK Superstock 1000 em duas etapas em 2012. Destemido, segue em busca de outro talento, e trabalha intensamente no projeto “Brasil no pódio da MotoGP 2015”.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

MotoGP Valência: O último dos recordes!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

MotoGP Austrália: Entre erros e injustiças, fez-se justiça

MotoGP Japão: Terra onde não é preciso vencer para ganhar

MotoGP Aragón : Show de talento, estratégia e burrice...

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!

MotoGP UK: Na pedra de prata, o retorno da normalidade

MotoGP Catar 2014: Um começo mais que eletrizante

MotoGP vai acabar... Viva as CRT!!

Diego Pierluigi: uma crônica de um campeão!

MotoGP Brno: O recital desafina, mas segue!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

MotoGP Japão: Terra onde não é preciso vencer para ganhar

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras