moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Giglio Val

MotoGP Brno: O recital desafina, mas segue!

18 de August de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Giglio Val

Brno marcou seu papel na história, ou melhor, mudou a própria história. Ficou em 10 vitórias consecutivas o feito de Marquez. E pela primeira vez que ele não sobe ao pódio em uma corrida em que termina desde que começou a sentar-se em uma moto da principal categoria.

Mas dizer que terminou sua supremacia seria um tanto precipitado.

Marquez largou muito mal nessa corrida, aliás, algo que tem sido a sua “criptonita”. Ele quase sempre larga mal, e sempre vai buscar! ...nessa etapa algo não correu como de costume.

A dupla “macarronnesca” Dovi e Iannone, como esperado, pula na frente, utilizando tudo de seu potente motor, as Ducati pelo menos no início brilharam! Foi muito bom ver Iannone liderando uma prova, e realmente achei que seguiriam mais tempo lá na frente. Não foi assim...

Lorenzo que sai bem quase sempre, largou em 6º mas já estava no top 3 desde o início, e assim que pôde, ainda no início assumiu a liderança da corrida, quando já se via que os 15 minutos de fama das Ducati pareciam ter terminado.

Vale aqui mencionar que Rossi também largou bem e estava ali na briga, chegou a andar nos top 3 , e manteve bom ritmo. Marquez que chegou a cair por instantes para 6º , começou a subir na classificação, mas desde o início dava para notar que algo não estava bem... A velocidade de saída de curva da sempre bem acertada moto do MM93 não parecia estar nos níveis que estávamos acostumados. Apesar da moto estar bem de reta, era principalmente nas curvas de baixa que ele sofria mais que o de costume na retomada.

Cabe aqui mencionar que todas as motos das equipes de fábrica utilizam centralinas e softwares da Magneti Marelli, como padrão, embora o mapeamento tenha de se distinguir para cada característica de avanço e resposta de cada motor. No caso da Honda, embora não seja divulgado o tipo de mapeamento utilizado, óbvio, eu apostaria num avanço menos linear no caso de Marquez, em relação a Pedrosa.

E em Brno, um dos principais trunfos da Honda 93, parecia ser seu calcanhar de Aquiles... A afinação, que desta vez não foi a perfeição costumeira, pareceu induzir a um desgaste um pouco maior.

O segundão Pedrosa, nessa prova pareceu se lembrar que existe, andou forte todo o tempo, e me surpreendeu quando rapidamente ultrapassou Lorenzo que liderava, de uma forma até um pouco agressiva (milagre!) , e não deu mais oportunidade a ninguém.

Marquez quando chegou a 3º, ensaiou uma perseguição, mas já era nítido que não rendia como de costume. Foi Rossi que vinha em 4º que o alcança e passa sem dificuldades.

Vale mencionar, algumas voltas antes, a batalha “mortal” que MM trava com Iannone, bateram 2 vezes, bonito de ver, mas MM perdeu tempo com isso, que lhe custou caro depois... Pensei que os toques pudessem haver danificado a Honda de Marquez, mas aparentemente não, nem ele reclamou depois disso.

Colegas leitores por vezes perguntaram sobre o peso e as limitações do MotoGP... Para o MotoGP a limitação de peso mínimo existe somente para a moto, que é de 160 kg. O lutador de sumô da categoria é a Ducati, apesar da diferença ser pequena.

No caso do Moto2 e Moto3 a limitação existe para o conjunto moto + piloto, que são 215 kg e 148 kg, respectivamente.

Voltando para a corrida, o pódio já estava definido nas últimas voltas, com Pedrosa, Lorenzo e Rossi, e um Marquez que ia ficando cada vez mais para trás...

Bradl seguiu na sua balada terminando em 7º, e as Ducati de Dovi e Iannone também travaram uma batalha a “Bolognese”, com Iannone vencendo no final, terminando em 5º, com Dovi em 6º.

No Moto2, Rabat leva mais uma, com Kalio e Cortese fechando o pódio (observe que os italianos estão crescendo na categoria!!!)

O ítalo-brasileiro Franco Morbidelli terminou em 8º.

No Moto3, surpresa! Um pódio sem espanhóis, com Masbou vencendo, seguido de Bastianini e Danny Kent.

Eric Granado termina em 27º, muito longe da zona de pontuação.

Malas prontas para Silverstone!

Giglio Val é engenheiro e administrador de empresas. Fundou o Blog do Giglio (gigliof1.blogspot.com), que trata do mundo das competições. Foi patrocinador principal e manager do piloto brasileiro Danilo Lewis, que correu o Italiano de Stock 600cc Michelin Power Cup em 2011 e o SuperBike no Brasil 2011 e 2012, assim como o WSBK Superstock 1000 em duas etapas em 2012. Destemido, segue em busca de outro talento, e trabalha intensamente no projeto “Brasil no pódio da MotoGP 2015”.

 

RESULTADOS

 

Points

 

Rider

Nation

Team

1

25

26

Dani PEDROSA

SPA

Repsol Honda Team

2

20

99

Jorge LORENZO

SPA

Movistar Yamaha MotoGP

3

16

46

Valentino ROSSI

ITA

Movistar Yamaha MotoGP

4

13

93

Marc MARQUEZ

SPA

Repsol Honda Team

5

11

29

Andrea IANNONE

ITA

Pramac Racing

6

10

4

Andrea DOVIZIOSO

ITA

Ducati Team

7

9

6

Stefan BRADL

GER

LCR Honda MotoGP

8

8

41

Aleix ESPARGARO

SPA

NGM Forward Racing

9

7

38

Bradley SMITH

GBR

Monster Yamaha Tech 3

10

6

19

Alvaro BAUTISTA

SPA

GO&FUN Honda Gresini

 

CLASSIFICAÇÃO

 

Rider

Bike

Nation

Points

1

Marc MARQUEZ

Honda

SPA

263

2

Dani PEDROSA

Honda

SPA

186

3

Valentino ROSSI

Yamaha

ITA

173

4

Jorge LORENZO

Yamaha

SPA

137

5

Andrea DOVIZIOSO

Ducati

ITA

118

6

Aleix ESPARGARO

Forward Yamaha

SPA

85

7

Pol ESPARGARO

Yamaha

SPA

78

8

Andrea IANNONE

Ducati

ITA

73

9

Stefan BRADL

Honda

GER

65

10

Bradley SMITH

Yamaha

GBR

65



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

MotoGP Valência: O último dos recordes!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

MotoGP Austrália: Entre erros e injustiças, fez-se justiça

MotoGP Japão: Terra onde não é preciso vencer para ganhar

MotoGP Aragón : Show de talento, estratégia e burrice...

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!

MotoGP UK: Na pedra de prata, o retorno da normalidade

MotoGP Catar 2014: Um começo mais que eletrizante

MotoGP vai acabar... Viva as CRT!!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

Diego Pierluigi: uma crônica de um campeão!

MotoGP Brno: O recital desafina, mas segue!

MotoGP Japão: Terra onde não é preciso vencer para ganhar

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras