moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Giglio Val

Moto GP Jerez: ...E o vento levou

05 de May de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Giglio Val

Mais que o vento, Marc Marquez foi quem levou mais essa...o número cabalístico desta etapa: 444.

Anote aí: 4 etapas, 4 poles, 4 vitórias... O fato é que ninguém consegue sequer acompanhar o jovem espanhol. Nas primeiras 3 ou 4 voltas até que, quem quer que seja, Rossi, Lorenzo, Dani etc... conseguem protagonizar algo, mas em velocidade de “cruzeiro” não dá.

O equipamento é muito bom, sem dúvida, mas não podemos desprezar o inconteste talento e agressividade da formiga atômica. Ele foi um “prometido” da Honda sim, protegido, criado, contratado etc... Mas o retorno que ele esta dando é insuperável. Dani Pedrosa tem o mesmo equipamento... e faz o que?... Segundão assumido, 8 temporadas completas na Honda, nenhum título na categoria.

Fato é que as Yamanha, que na minha opinião tem a melhor ciclística do grid, não estão conseguindo alcançar Marc... Vejam que não se trata de não alcançar as Honda, pois Rossi esteve sempre na frente da Honda de Pedrosa. Não fosse Marc Marquez, o campeonato estaria equilibrado. O cara está fazendo a diferença, gostemos dele ou não.

E a corrida?... Sim houve uma... Desta vez Marc não larga tão mal como de costume, mas foi a dupla “macarronesca” Rossi e Dovi que pulam adiante, e a Ducati 4 usando e abusando de sua potência, saindo de 6º faz a primeira curva em 1º.

Rossi logo passa e lidera por algum tempo... Aliás, é uma visão maravilhosa ver aquele show de cores fortes na frente do pelotão... El Doctor sempre é boa pedida... e com sua “tocada” inconfundível, é bom de ver.

Infelizmente o que é bom dura pouco... Marc acompanha as Yamaha, passa Lorenzo, passa Rossi, chega a trocar posições com o italiano, mas ao fim, passa de vez e tchau... Chega a abrir mais de 5 segs.

Nunca achei que a situação do início iria durar... Aquela sensação de igualdade total. A fotografia dava para ver... e não deu outra.

Uma surpresa agradável foi ver o bom ritmo de Rossi, que não deixou o Lorenzo passar, e não deu chance a Pedrosa. Aliás, o nanico de plantão dá às vezes até vontade de chorar, tamanha sua apatia e falta de vontade. Que desperdício “dona Honda”!

Não vejo a hora de a Suzuki voltar! Este campeonato precisa de mais cores...

Outro que esta fazendo a diferença, guardadas as proporções, na minha opinião, é o Dovi... Ele vem trabalhando bem, melhorando, o equipamento parece estar mais competitivo, e acho que poderá ainda este ano garantir mais 2 ou 3 pódios... Pois seu companheiro Carl “Cuchilou”, não esta fazendo nada.

Iannone? ...Andou mais para trás desta vez, e como é de costume, foi aparar um pouco de grama. Aliás, especialidade de Abraham, que por falta de uma, foi para o chão 2 vezes.

Méritos a Smith, bom piloto, lutou com o que tinha, e está se destacando em relação a Pol. Aleix, também muito bem, com uma moto 2013, ajustada, vem sendo frequentador assíduo do segundo pelotão.

Bradl fez uma corrida apagada, chegando em 10º, e o lutador Bautista, em 6º fez uma corrida de muita fibra... é outro que merece uma chance.

No último 1/3 da prova, Lorenzo perde muito rendimento e afunda a 8 segs de Rossi... Dani não tem problemas para passá-lo. Minha opinião: ele cansou. Não é só pneu.

Lorenzo vê o campeonato derreter no sol de Jerez, estando bem atrás até de seu companheiro Rossi.

Ele trabalha “na surdina” por um lugar na Honda próximo ano... quem sabe no assento de Pedrosa. Também acho que próximo ano a Yamaha poderia dar uma chance a Aleix ou Smith.

No moto 2, não houve hino espanhol para surpresa geral, com Kalio, Aegerter e Folger no pódio...

No moto 3, Eric Granado cai na primeira volta. Sem comentários.

Malas prontas para Le Mans, circuito rápido com cara de quem? É o que veremos.

Giglio Val é engenheiro e administrador de empresas. Fundou o Blog do Giglio (gigliof1.blogspot.com), que trata do mundo das competições. Foi patrocinador principal e manager do piloto brasileiro Danilo Lewis, que correu o Italiano de Stock 600cc Michelin Power Cup em 2011 e o SuperBike no Brasil 2011 e 2012, assim como o WSBK Superstock 1000 em duas etapas em 2012. Destemido, segue em busca de outro talento, e trabalha intensamente no projeto “Brasil no pódio da MotoGP 2015”.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

MotoGP Valência: O último dos recordes!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

MotoGP Austrália: Entre erros e injustiças, fez-se justiça

MotoGP Japão: Terra onde não é preciso vencer para ganhar

MotoGP Aragón : Show de talento, estratégia e burrice...

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!

MotoGP UK: Na pedra de prata, o retorno da normalidade

O que ficou de 2013 na alta competição da MotoGP?

MotoGP Catar 2014: Um começo mais que eletrizante

MotoGP vai acabar... Viva as CRT!!

MotoGP Malásia: O templo dos recordes!

MotoGP Misano: A bendição dos Deuses e a retratação dos mortais!

Equipe RC3 chega como boa novidade no Moto 1000 GP

MotoGP Assen: o deus das 2 rodas voltou!


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras