moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Claudio Teixeira

O motociclismo no país do futebol e da cartolagem

19 de March de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Claudio Teixeira

Olá motociclistas internautas do moto.com.br!

Este post, que irá abordar alguns aspectos sofridos pelo motociclismo no Brasil é bastante polêmico, aparentemente sem solução e que deprecia demais o motociclismo e outros esportes que sofrem com a concorrência com do futebol e da cartolagem.

Lembro-me que o motociclismo já foi muito melhor e mais prestigiado em tempos áureos em que as corridas chegavam a levar mais de 20 ou 30 mil espectadores para as provas dos campeonatos Paulista e Brasileiro, antes tidos como os únicos e verdadeiros campeonatos no Brasil e hoje desqualificados e desprestigiados. Na época tínhamos até transmissão ao vivo pela Rede Bandeirantes de Televisão e hoje chegamos a ter que assistir apenas o futebol em vários canais esportivos. Eu mesmo tenho mais de seis canais exclusivamente esportivos que às vezes todos estão passando futebol. Jogos do Penapolense, jogos da Europa, da Colômbia, de várzea e de tantos outros que é de dar raiva.

Impressionante é que, mesmo nos tempos áureos do motociclismo, a maioria dos pilotos ainda achava baixa a exposição do nosso esporte e todos tinham enormes dificuldades de encontrar patrocínios, quem dirá hoje em dia. As fábricas multiplicaram por 100 ou 200 vezes as suas vendas e produção de motocicletas, o país foi beneficiado com a liberação das importações das motos de competição, a quantidade de pilotos mais que quintuplicou, mas o esporte continua degenerando e sem rumos sólidos.

A cartolagem se apropriou do esporte e não vemos novas lideranças, e ainda assim, as poucas que surgem quase não se importam com pilotos ou equipes, mas apenas no faturamento imediato em cima de inscrições, filiações, concessões de alvará para as provas e por aí vai.

O pior de tudo é que, já não bastassem esses aspectos, ultimamente tem-se visto a guerra nada ética das equipes adentrarem os limites das pistas enquanto deveriam se limitar a ficar nos boxes e adjacências. Nos meus bons tempos de piloto já existiam as brigas de equipes, mas nós, pilotos, não nos prestávamos a atender pedidos anti esportivos dentro das pistas e não desonrávamos os amigos que tínhamos fora do circuito, procurando travar disputas justas e honestas, afinal tínhamos caráter e hombridade para isto.

Ultrapassagens arriscadas sempre existiram e as boas disputas também, mas fazíamos isso apenas em nome do esporte e da vitória e não em nome de uma marca ou de uma determinação de uma equipe.

Hoje vemos o loteamento das entidades máximas do esporte trabalhando em favor de seus dirigentes ou de uma ou outra marca que paga mais e melhor. Vemos provas marcadas em cima do calendário umas das outras e ainda em cima de provas do calendário mundial, sem levarem em conta o cansaço e o bem estar de pilotos e equipes, prejudicando assim seus desempenhos e onerando seus custos já bastante altos para o esporte.

Televisão nem falar. Tivemos transmissões da Rede TV recentemente, mas com pouca divulgação local, diminuindo a presença do público. Será que um dia nosso esporte será digno de uma transmissão da Rede Globo que, creio eu ninguém lá na emissora sabe, mas somos milhões de aficionados pelo motociclismo que não vêm no futebol o único esporte do planeta Brasil ?

As provas de motovelocidade são há tempos um cemitério abandonado pelo público pagante. Qualquer outra modalidade de competição a motor leva mais público que a motovelocidade e que o motocross juntos. Depois que os filhos do Galvão Bueno entraram para a Stock Car o campeonato bombou em público, renda e profissionalismo! Será que nem o Cacá nem o Popó curtem as motocas??? Já imaginaram a Globo transmitindo ao vivo as provas do AMA ou do Brasileiro? Que sonho!!!!

Observo apenas que, enquanto perdurarem no comando das entidades máximas velhos dirigentes que se apoderaram das cadeiras tal qual Renan Calheiros no senado, Lula na presidência, Ricardo Teixeira na CBF e que como tais só olham para os próprios bolsos e de seus apadrinhados e manipulam resultados em benefício próprio, o esporte só tem a definhar em detrimento daqueles que de fato promovem o show, os pilotos !

Abraços a todos.

Claudio Teixeira (Claudio Tex 21), é piloto veterano e detentor de títulos no Campeonato Paulista de Motocross, dono de um respeitável currículo no mundo das competições Off Road e atualmente é distribuidor dos Lubrificantes Motul. Mais informações no e-mail claudio@motuloil.com.br e no site www.motuloil.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Confira os bastidores do Motocross das Nações 2016

Veterano Roque Colman acelera em Glen Helen

Moto Story resgata a história de grandes pilotos

AMA SX: Ryan Dungey levanta o troféu em Daytona

AMA SX: Ryan Dungey sai com vitória em Atlanta

AMA SX: Chad Reed é o grande vitorioso em Atlanta

AMA SX: Ryan Dungey sai com vitória em Arlington

Motos 2 ou 4 tempos, qual a diferença?

Alguns segredos dos ajustes de suspensões

Villopoto vence 10ª prova e fecha 2013 com chave de ouro

AMA SX 2009: Continua quente

AMA SX: Bubba vence e assume o 3º lugar no campeonato

AMA SX: Villopoto vence a 2ª etapa em Phoenix

AMA SX: Imbatível, Vilopotto vence a 8ª etapa no ano


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras