moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Claudio Teixeira

A importância de um bom lubrificante para sua moto

02 de February de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Claudio Teixeira

Olá amigos internautas do Moto.com.br

Ter iniciado uma vida nas competições de motociclismo nos idos de 1970 e ainda um moleque, época em que as motos nada tinham além de super motores que empurravam muito nossas motos na casa dos 250/270 kms por hora (na motovelocidade), essas competições sempre me deram muita noção de mecânica, ciclística e demais itens básicos inerentes ao motociclismo. Cheguei a fazer algumas provas de motovelocidade na categoria estreantes, mas logo decidi que curtia mais o motocross e que era nesta modalidade que eu queria a todo custo andar na frente e nas categorias máximas do esporte.

Foi uma fase interessante do esporte, em que os focos se davam muito na preparação dos motores, quase todos 2 tempos que eram os que mais andavam e sempre dava para tirar mais e mais no desempenho deles. Para os freios quase ninguém se importava, afinal para que freio se o objetivo é acelerar e não frear? Suspensão já não tinha quase nada de bom mesmo, assim o foco era mais para os motores.

Lubrificantes não faziam parte da nossa analogia. Sabíamos de sua importância para não fundir os motores, principalmente os 2 tempos que fundiam com muita facilidade, mas sendo apenas um lubrificante já bastava. O importante era não deixar faltar. Lembro-me bem que uma vez o Nivanor Bernardes me disse: Claudinho, o melhor lubrificante que tem é esse aqui...esse não tem nada, sem detergente, sem aditivo, nada...apenas óleo!

Achei aquilo meio estranho, mas quem falava era ninguém menos que o Touro do Paraná Nivanor Bernardes, então esse deveria ser "o" óleo. E dali para frente só usei aquele.

Passaram-se praticamente 40 anos e por incrível que pareça as motos ganharam freios, suspensões (que beleza), e os motores que já eram fortes ficaram ainda mais fortes. Mas essa evolução toda não se deu apenas nos equipamentos, e nisso incluem-se os dos pilotos, mas também nos combustíveis e lubrificantes, que passaram a ter papel vital em vários componentes das motocicletas e principalmente nos motores.

Com a evolução os motores passaram a trabalhar e rotações muito acima dos daquela época, assim como suspensões e freios passaram a ser super exigidos, e isto não se limita às competições, mas se estende também ao lazer, afinal as motos de rua de amanhã são derivadas das de competição de hoje.

Assim sendo, caros internautas, é importante saber que lubrificantes de alta qualidade e performance são uma necessidade de sua motocicleta e não simplesmente uma despesa a mais aonde deve-se economizar ao máximo. Os lubrificantes mais elaborados, além de possuírem maior quantidade de detergente por litro, possuem também maior viscosidade e fluidez, aumentando o rendimento da sua moto, evitando o acúmulo de resíduos e carbonização, além de protegerem muito mais as peças móveis do seu motor. Às vezes procura-se economizar nestes ítens, porque aí vão também os óleos de suspensão, transmissão, relação, etc, etc, mas acaba sendo o barato que sai caro, mesmo porque a durabilidade do mesmo óleo, quando de melhor qualidade também é maior.

Lubrificantes básicos cuja troca recomendada é a cada 1.000 Kms, com lubrificantes de 1ª linha chegam a 2.500 Kms nos mais simples, ou seja, você compra um óleo ruim, que roda menos, acumula carbono no motor, a moto anda menos e ainda consome mais gasolina, afinal é fácil entender que, se lubrifica melhor, as peças móveis internas se movimentam com mais facilidade gerando menor esforço ao motor com a diminuição do atrito e portanto melhor desempenho.

Estimam-se nas competições, dependendo da moto e modelo, que essas chegam a ganhar 2, 3 e até 4 cavalos de potência em função do uso de lubrificantes de altíssima performance que chegam a custar de R$ 100,00 a R$ 120,00 o litro e que esse mesmo lubrificante nas motos de rua chegam a rodar até 15.000 kms mantendo as peças sempre polidas e com desgaste mínimo.

O mesmo ocorre com suspensões e freios, pois, além de todas as vantagens citadas acima, ainda se mantém em temperatura mais baixa, permitindo uma performance linear mesmo em uso extremo.

Assim amigo internauta, quando o assunto da pauta forem os lubrificantes, procure usar os de alta qualidade que certamente você estará cuidando melhor do seu amado brinquedinho e ela vai te agradecer com certeza. “Fazendo uma analogia mais tosca, se você passar a vida comendo só a gordurinha da picanha, certamente seu sistema vascular vai “ abrir o bico " muito antes da hora e o seu desempenho será sempre sofrível !!!

Abraços a todos e fiquem ligados porque este sábado tem mais uma etapa do AMA Monster Energy Supercross Anaheim !!!

claudio@motuloil.com.br / www.motuloil.com.br 

Claudio Teixeira (Claudio Tex 21), é piloto veterano e detentor de títulos no Campeonato Paulista de Motocross, dono de um respeitável currículo no mundo das competições Off Road e atualmente é distribuidor dos Lubrificantes Motul.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Confira os bastidores do Motocross das Nações 2016

Veterano Roque Colman acelera em Glen Helen

Moto Story resgata a história de grandes pilotos

AMA SX: Ryan Dungey levanta o troféu em Daytona

AMA SX: Ryan Dungey sai com vitória em Atlanta

AMA SX: Chad Reed é o grande vitorioso em Atlanta

AMA SX: Ryan Dungey sai com vitória em Arlington

Motos 2 ou 4 tempos, qual a diferença?

Alguns segredos dos ajustes de suspensões

Villopoto vence 10ª prova e fecha 2013 com chave de ouro

AMA SX 2009: Continua quente

AMA SX: Bubba vence e assume o 3º lugar no campeonato

AMA SX: Villopoto vence a 2ª etapa em Phoenix

AMA SX: Imbatível, Vilopotto vence a 8ª etapa no ano


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras