moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Triumph atualiza linha Tiger 800 com XRx e XCx

18 de March de 2015
Compartilhe este conteúdo:

André Jordão

Seguindo o natural caminho de lançar modelos no Salão de Milão (EICMA) e no ano seguinte apresentá-los ao mundo, a Triumph Brasil, cada vez mais alinhada com lançamentos globais, apresentou as novas versões da Tiger 800: XRx e XCx. A grande diferença entre elas é a vocação para o fora de estrada, sendo a XRx mais on-road e a XCx melhor preparada para encarar a terra. Ambos os modelos estarão disponíveis a partir de abril nas concessionárias da marca nas cores branco, preto e azul e tem preço sugerido de R$ 42.190 (XRx) e R$ 45.390 (XCx).

Atualização

O grande diferencial dos novos modelos é sem dúvida a tecnologia embarcada. Com o slogan “Tecnologia focada no piloto”, a Triumph equipou as novas 800 cc com controle de tração (TTC), piloto automático, ABS, acelerador eletrônico (ride by wire) e diferentes mapas de aceleração. O piloto consegue, por meio de um botão no painel, decidir pelo modo “Road” ou “Off-road”, ou ainda personalizar a seu gosto no modo “Rider” – havendo a opção de desligar tudo.

Resumidamente, o “Road” entrega a potência máxima, mas auxilia o piloto com controle de tração e ABS atuantes. No modo “Off-road” a entrega de potência é a mesma, no entanto a roda traseira fica “livre” da eletrônica, permitindo ao piloto derrapagens controladas. O interessante é que o TTC não fica desligado, ele apenas permite algumas saídas de traseira, mas intervém assim que a moto ameaça passar do limite. Há ainda o modo “Rider”, onde o piloto opta por um dos quatro mapas de aceleração – Rain, Sport, Road e Off-road – e decidi se quer ligar ou desligar o TTC e o ABS. Diferentemente de outras marcas, o mapeamento de motor da Triumph não reduz a entrega de potência, apenas interfere na abertura do acelerador.

Já a segunda geração do motor 800 cc de três cilindros ainda entrega 95 cavalos de potência a 9.250 rpm e 8 kgf.m de torque a 7.850 rpm, mas foi devidamente otimizado para reduzir o consumo de combustível em 17%, segundo a marca. Combinado com seu tanque de 19 litros, a autonomia teórica é estimada em 438 km, cerca de 80 a mais que na geração anterior. O peso em ordem de marcha é de 213 kg na XRx e 221 kg na XCx. Computador de bordo e uma tomada de 12V completam os equipamentos de série.

Na prática

O lançamento dos novos modelos Tiger de 800 cc aconteceu na Fazenda Dona Carolina, no interior de São Paulo. Trinta motos, entre as duas versões, foram disponibilizados à imprensa, que rodou por três horas em circuitos mistos ao redor de Itatiba (SP). Uma das diferenças entre os modelos é a roda dianteira: a versão XCx traz aro raiado de 21 polegadas, enquanto a XRx tem 19’ e desenho mais urbano. Outro discrepância é o conjunto de suspensão, da marca Showa na XRx e da grife WP da XCx. Além disso, algumas medidas são diferentes, como altura, altura do assento, altura do guidão e peso (ver ficha técnica nas fotos).

Rodei primeiro com a XCx, cerca de 100 km entre estrada pavimentada e fora de estrada. Já havia pilotado o modelo antigo e não era segredo a versatilidade dos modelos Tiger. Todavia, com o modo “Off-road” ativado e muita terra pela frente a moto surpreendeu positivamente. O TTC atua de forma muito discreta, mas dá um suporte fundamental para o piloto se divertir com segurança. Mesmo os menos experientes poderão sair da estrada sem medo! As rodas raiadas de 21 polegadas, o guidão mais alto e as suspensões WP fazem da XCx uma motocicleta preparada para a terra.

Já a XRx se saiu melhor na circuito pavimentado. Optei pelo modo “Rider” e rodei tanto no “Sport” como no “Rain”, com o TTC e o ABS ligados. A diferença, como já disse, fica na sensibilidade do acelerador, mais arisco no Sport. Parece óbvio, já que ambos os modelos foram projetados para cada terreno, mas vale a ressalva: se a intenção é pegar uma “terrinha” de vez em quando, não invista na XCx. Agora, se você é daqueles que gosta de se sujar de barro, os R$ 3.200 de diferença valem o investimento.

A expectativa de vendas é comercializar 1.500 unidades da nova Tiger 800 no Brasil em 2015, claro, entre as duas versões. O interessante é que a marca inglesa projeta emplacar 5.000 motos este ano, o que faz da Tiger 800 o carro chefe da Triumph, com cerca de 30% das vendas. 



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Ducati 1299 Superleggera chega ao Brasil por R$ 550 mil

Moto elétrica da marca dinamarquesa Fenris acelera a 300 km/h

KTM oferece as motos de enduro com bônus de fábrica

Abraciclo: Produção de motos recua ao patamar de 2002

Ducati lança aplicativo para simular financiamento de motos

Triple Triumph inaugura nova loja em Miami (Estados Unidos)

Ducati Diavel Diesel desfila em Milão como moto fashion

Nova Kawasaki Ninja H2 Carbon chega por R$ 164 mil

Honda apresenta linha 2017 da aventureira XRE 300 no país

Polícia de SP vai combater crime de Triumph Tiger 800 XCx

Triumph revela linha 2017 da Street Triple na Inglaterra

Ducati Diavel Diesel desfila em Milão como moto fashion

Honda apresentará Rebel 500 no Salão de Verona (ITA)

Clássica Honda CB 1100EX chega aos EUA


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras