moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Nova Yamaha XJR 1300 embarca na onda vintage

Naked de quatro cilindros foi renovada para a linha 2015 com visual de moto personalizada e muita atitude

04 de May de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Arthur Caldeira

“Depois de influenciar a moda e a decoração, a tendência vintage está influenciando as motocicletas”, explicou Shun Miyazawa, gerente de produtos da Yamaha na Europa. Vestido com camisa xadrez, colete e boina à moda antiga, Miyazawa foi um dos responsáveis por renovar a naked XJR 1300, um dos lançamentos da fábrica japonesa no Intermot 2014, o Salão de Motos de Colônia (ALE). Buscando inspiração nas linhas clássicas de antigos modelos esse retorno ao passado chegou com força total também no setor de duas rodas. 

Embora conserve o visual clássico e seu enorme motor de quatro cilindros em linha com refrigeração ar, a “nova” XJR 1300 não está exatamente igual ao modelo original. O escapamento foi pintado de preto, as tampas laterais de alumínio lembram as usadas nas motos de corrida dos anos 1970 e o banco é solo.

Do “quintal” para a linha de produção
Nos últimos anos, a Yamaha tem trabalhado com diversos customizadores profissionais para criar uma série de conceitos chamados de “Yard Built”, algo como “construída no quintal”. Essa experiência trouxe muita inspiração para o departamento de desenvolvimento de novos produtos da fábrica japonesa que incorporou o design dos customizadores a suas criações.

“Fomos inspirados pela releitura que as pessoas faziam de seus velhos modelos para renovar a XJR 1300”, revela Miyazawa. Essa inspiração também deu origem a XJR 1300 Racer, uma versão com carenagem de fibra de carbono e semi-guidões, como os usados nas motos de pista antigamente.

Releitura
A XJR 1300 manteve-se fiel ao conceito do modelo original de ser uma moto com cara de moto, ou seja, uma moto nua e crua. Bonita e ao mesmo tempo funcional. “O farol sem carenagem está ali para iluminar. O tanque, para carregar combustível, enfim nenhum item está ali por acaso. Todos têm um propósito”, explicou-me Miyazawa no lançamento do modelo. E as personalizações tiveram um importante papel nessa renovação da XJR.

A principal mudança estética está no tanque: em vez do enorme reservatório de 21 litros do modelo original, um novo, mais estreito e com capacidade para 14,5 litros foi construído. Uma alteração prática que, além de melhorar o encaixe das pernas, foi possível graças ao sistema de injeção eletrônica de combustível que dosa melhor a mistura ar-combustível entregue aos quatro cilindros em linha.

Com 1.251 cm³ de capacidade, o tetracilíndrico tem arrefecimento a ar, duplo comando de válvulas (DOHC) e quatro válvulas por cilindros. Embora tenha cabos de velas e cachimbos vermelhos à moda antiga, seu desempenho é atual: produz 98 cavalos de potência máxima a 8.000 rpm e bons 11,1 kgf.m de torque máximo a 6.000 rpm.

Outra atualização bem-vinda foi feita nas suspensões. O garfo dianteiro tem tratamento DLC (Diamond-Like Carbon) nos tubos internos para proporcionar um funcionamento mais progressivo. Já o sistema bichoque da balança traseira ganhou o reforço dos amortecedores Öhlins com reservatório a gás e ajustáveis.

Um largo guidão de alumínio, banco solo, uma espécie de numberplate (placa de numeral) de alumínio e o sistema de escapamento 4-2-1 com uma ponteira preta completam o visual de moto customizada de fábrica. Disponível nas cores azul/branca, cinza fosca e preta, a Yamaha XJR 1300 tem preço sugerido de 10.390 Euros, na Itália, ou cerca de R$ 35.000.

Versão café racer
Também influenciada pela moda café racer e pela Eau Rouge, uma XJR 1300 customizada pela famosa oficina Deus Ex-Machina, a Yamaha lançou também uma nova versão da XJR 1300, chamada de “Racer”. Com as mesmas especificações da naked, porém com um visual de moto de pista dos anos 1970, a Racer traz uma carenagem de fibra de carbono cobrindo apenas o farol e os mostradores redondos do painel. Há ainda uma capa do banco no mesmo material.

Para reforçar a proposta “café racer” a nova versão traz dois semi-guidões ao invés do guidão largo e elevado do modelo base. Dessa forma, oferece uma posição de pilotagem mais esportiva e condizente com as motos de corrida de antigamente. Vendida também em três opções de cores, a XJR 1300 sai por 11.590 Euros, algo em torno de R$ 38.000, também na Itália.

Embora a onda vintage esteja fazendo a cabeça dos motociclistas na Europa e no Japão, a moda ainda não desembarcou no Brasil, pelo menos não oficialmente, pois as fábricas aqui instaladas não trazem modelos com essa inspiração. Isso é uma má notícia aos motociclistas brasileiros mais nostálgicos. Não há previsão e nem planos da Yamaha de trazer a XJR 1300 e nem sua versão Racer para o País.



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Yamaha YS 125 na Europa tem visual da moto brasileira

Projeto Motostory e Veteran Motorcycle Clube firmam parceria

Indian apresenta nova Roadmaster Classic nos EUA

Hayabusa's Day RS anuncia encontro 2017 em Porto Alegre

Ducati Mooca leva máquinas italianas para Zona Leste

Moto voadora Hoversurf Scorpion-3 vira solução áerea

KTM anuncia lançamento da linha de enduro 2017 no Brasil

Kawasaki Z900 esbanja potência e oferece pouca eletrônica

KTM 1290 Super Adventure S, pronta para qualquer aventura

Lego faz BMW R 1200 GS Adventure brinquedo de gente grande

Moto voadora Hoversurf Scorpion-3 vira solução áerea

Yamaha YS 125 na Europa tem visual da moto brasileira

Veja as 10 Nakeds acima de 600cc mais procuradas no site

Indian apresenta nova Roadmaster Classic nos EUA


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras