moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Mercado de motos: pequenas caem e as grandes sobem

Modelos de baixa cilindrada passam por crise, enquanto scooters e modelos Premium têm vendas em alta

22 de January de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

O mercado brasileiro de duas rodas vive um momento delicado. Nos últimos anos tem acumulado quedas sucessivas em vendas. Em 2014 não foi diferente: foram emplacadas 1.429.902 unidades, recuo de 5,66% se comparado a 2013. 

Para o presidente da Fenabrave, federação nacional dos distribuidores de veículos, que reúne 8.000 concessionárias, das quais cerca de 1.500 revendas de motos, Alarico Assumpção Jr., o mercado de motos encolheu e, consequentemente, a rede de concessionárias também. “Porém, com a chegada de novos players as marcas de motos de alta cilindrada estão ganhando espaço e as vendas, aquecidas. Nas motos de entrada, o consórcio se fortalece a cada dia. O que falta é uma maior liquidez no crédito para os modelos de baixa cilindrada”, afirma o executivo.

Para este ano a previsão não é das melhores. Segundo a Fenabrave, o segmento moto deverá emplacar algo em torno de 1.427.000 em 2015. Embora o cenário geral não seja dos melhores, alguns nichos de mercado apresentam desempenho acima da média, caso dos scooters e motos acima de 450cc, consideradas premium.

Segundo dados da Abraciclo, associação que reúne os fabricantes do setor, o segmento scooter teve crescimento de 31% em 2014. Foram vendidas cerca de 40 mil unidades, enquanto no mesmo período de 2013 foram comercializados 29.314 scooters. Já no mercado de motos premium, foram emplacadas 50.984 unidades no ano passado, o que corresponde a uma alta de 10,2% em relação a 2013. Só em 2014, o segmento de motos de luxo teve um total de 39 lançamentos.

Motos Premium
No cômputo geral, a Honda ainda é a líder no segmento Premium com 32% de market share. A marca japonesa emplacou mais de 18 mil motocicletas de alta cilindrada em 2014, registrando crescimento de 21% nas vendas de motos acima de 450cc em relação ao ano anterior. Entre os destaques da marca, estão os três modelos da família 500 (CB 500F, CBR 500R e CB 500X) que, juntos, somaram mais de 7.600 unidades emplacadas em todo o Brasil.

Com apenas quatro modelos – as trails XT 660R e XT 1200Z Super Ténéré, a naked XJ6N e a custom XVS 950 A Midnight Star –, a Yamaha vendeu 8.144 unidades. Em 2014, a BMW superou a Harley-Davidson, atingindo um novo recorde de vendas no País. Ano passado foram emplacadas 7.848 unidades da marca bávara no Brasil. Com destaque para a F 800 GS, com 3.033 licenciamentos. Já a HD fechou o ano com 7.586 unidades emplacadas.

Outra marca que tem aproveitado o bom momento do segmento premium no Brasil é a Triumph, que teve um crescimento de 47% em comparação a 2013. A fabricante inglesa ocupa a 10ª posição entre as marcas mais vendidas, com 4.611 motos emplacadas no ano passado.

Segmento por segmento
No segmento City, destinado a motos de entrada que, aliás, são as que mais sofrem com a falta de crédito ao consumidor, a Honda CG 150 mantém sua liderança absoluta. Seguida pela CG 125, pelas Yamaha YBR Factor 125 e Fazer 150. Na última posição deste top five, a Honda CB 300R.

A CG 150 não ocupa apenas o posto de moto mais vendida é também o veículo mais vendido do país, com 347.209 unidades emplacadas, superando Fiat Palio e WV Gol, com 183.741 e 183.356 unidades licenciadas em 2014, respectivamente.

Entre os modelos CUB e scooters, destaques para as Honda Biz 125, Pop 100, PCX 150, Yamaha Cripton e Honda Lead. Entre os top ten, ainda estão os scooters Suzuki Burgman 125 (8ª posição) e o Dafra Citycom 300i (9º colocado).

Já entre os modelos mais versáteis, as trails Honda e Yamaha se alternaram entre as mais vendidas. Destaque para a Honda NXR Bros 150/160 e a XTZ Crosser 150, da Yamaha, que já ocupa a terceira posição entre as fun bikes de baixa capacidade cúbica.

Na categoria naked, disputa acirrada entre a Honda CB 500 e a Yamaha XJ6. A diferença foi de apenas 393 unidades a favor do modelo Honda – de menor capacidade cúbica, preço mais em conta e que leva vantagem pela enorme rede de concessionárias da marca da asa. Entre as esportivas, liderança da Kawasaki Ninja 300, com 2.478 unidades emplacadas em 2014.

Entre as motos custom, a família Harley-Davidson XL 1200 desbancou o reinado da XVS 950 Midnigth Star. Já nas maxtrail, a veterana Yamaha XT 660R se mantém líder. Porém, no seu encalço está a BMW F 800 GS. A G 650 GS vem perdendo fôlego. No estudo da Fenabrave, a moto de entrada da BWM, fabricada em Manaus (AM) pela Dafra, ocupa agora a quarta colocação, atrás da Triumph Tiger 800.

Na linha Touring, com modelos dedicados à viagem, supremacia total da Harley. Das cinco primeiras no ranking de vendas, quatro são da marca norte-americana. A quinta posição fica para a família K 1600, da alemã BMW.



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Harley-Davidson pode estar interessada na compra da Ducati

Ducati Multistrada 1200 Enduro Pro foge do tradicional

Bike Fest Tiradentes acontece entre 21 e 25 de junho

Husqvarna apresenta a radical supermoto FS 450

KTM tem nova fábrica nas Filipinas para motos compactas

Boletim MOTO.com.br - Notícias de motos em 30 segundos (17/06/17)

BMW anuncia G 310 R preço sugerido de R$ 21.900 no Brasil

BMW anuncia G 310 R preço sugerido de R$ 21.900 no Brasil

MV Agusta RVS #1 é a nova máquina da marca italiana

Triumph lança novas Street Scrambler e Bobber no Brasil

Ibira Moto Point está de volta ao Ginásio do Ibirapuera

Kawasaki lança versões 2018 dos modelos Ninja 650 ABS e Ninja 1000

Honda anuncia linha 2018 da aventureira NC 750X no Brasil

Motos conceito mostram como será o futuro em duas rodas


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras