moto.com.br
Publicidade:

Acontece

LifeMotosBR: Acelerando com as máquinas KTM no Duke Tour

08 de November de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Alessandro Lima, professor universitário, escritor, desenvolvedor de jogos digitais e motociclista em tempo integral desde 2009. Atuou por mais de 10 anos em Estúdios de Computação Gráfica (CG), em especial no desenvolvimento de jogos digitais, com a participação em mais de 30 projetos de jogos nacionais e internacionais. É autor de seis livros sobre o tema. Idealizou no YouTube o canal LifeMotosBr  para criar conteúdo digital de entretenimento e ensino com vídeos de viagens e aventuras para compartilhar com o público. Mais informações no site alessandrolima.com.
 
No último dia 5 de novembro (sábado) ocorreu a Duke Tour 2016 - etapa Tarumã, em Viamão (RS), na região metropolitana de Porto Alegre. O evento contou com a participação e coordenação de Lucas Paschoalin, piloto de testes da KTM Brasil. O evento é uma das ações da marca austríaca para promover seus novos modelos de motocicletas de média cilindrada, identificadas aqui por Duke 200cc e Duke 390cc. O evento dividiu os participantes em turmas de até 8 pilotos, onde inicialmente foi dada uma rápida palestra instrucional sobre o evento e as regras de utilização das motocicletas na pista pelo próprio Lucas Paschoalin.

 

Conhecida por seus modelos de motocicleta usados em ralies e enduros, a KTM agora inova e leva sua tradição de boas motocicletas pesadas para modelos mais street. Herdando muito de suas irmãs maiores, tanto a KTM Duke 200 e 390cc impressionam já em seu visual diferenciado e agressivo. Com ruído de motor único, o escape não deixa dúvidas sobre qual modelo se está escutando nas ruas da cidade.

Com um histórico de mais de 260 títulos conquistados, a KTM agora oferece sua tecnologia das competições ao piloto urbano que deseja ter em sua garagem, o DNA competitivo e agressivo que a marca oferece. Ambos os modelos de motos são muito fáceis de pilotar, mas algumas diferenças entre si as tornam únicas.

A primeira moto que experimentei no dia do evento, foi a KTM 200cc, onde já no sentar na moto já se sente a diferença. A posição de pilotagem é mais alta que uma 250cc padrão e os pés ficam levemente posicionados mais para trás, o que confere uma posição muito confortável na pilotagem. Motocicleta extremamente leve, pesando cerca de 129.5 kg, oferece excelente relação entre peso e potência.

Tanto a KTM Duke 200cc e a 390cc, possuem painel muito completo. Contém, além dos instrumentos padrões como velocímetro, conta-giros, odômetro e relógio, dispõem ainda de indicador de marcha no painel digital e Shift Light (dispositivo que indica o momento certo para troca de marchas). O painel é feito de LCD e oferece boa visibilidade ao sol.

O motor da Duke 200cc é muito compacto e econômico, podendo realizar de 35 a 42 km/l, dependendo como a motocicleta é usada. O motor é do tipo DOHC monocilíndrico, com quatro válvulas e injeção eletrônica, que realiza uma entrega de 26 cv de potência máxima. Já o da Duke 390cc pesa apenas 36 Kg e alcança facilmente os 44 cv. Ambos os modelos de motocicletas possuem 6 marchas, o que confere uma capacidade econômica na sexta marcha muito boa.

O escapamento em ambos os modelos é compacto e possui silenciador de três câmaras, posicionado próximo ao centro de massa da motocicleta, o que assegura boa centralização de massa veicular durante a pilotagem. Para a realidade no Brasil, o escapa sofreu uma leve adaptação, mas que nada impacta em sua performance ou em seu visual, muito menos em seu som.

A suspensão das motos é de ponta de linha, sendo do tipo garfo invertido da marca WP de 43 mm e oferece o mesmo desempenho da KTM Duke 690. Os freios são a disco nas duas rodas, da marca Brembo. A Duke 390cc ainda oferece ABS que pode ser desligado pelo piloto sempre que ele desejar. Os pneus de fábrica são o Pireli Diablo Rosso II, que confere uma alta esportividade a ambos os modelos das motos.

Tanto a KTM Duke 200c como a 390cc são equipadas com os itens necessários a boa performance das motos, incluindo aqui areoquip (revestimento especial para os dutos de óleo dos freios) de fábrica nos freios. A marca possui ainda boa parceria entre fabricantes de acessórios, que produzem itens customizados para elas. 

Pude experimentar ambas as motos e cada uma tem suas características únicas. A Duke 200cc é uma ótima motocicleta para se utilizar na cidade. Leve, compacta e ágil, possui uma dirigibilidade excelente. Sempre com “motor cheio”, ela está sempre pronta para uma rápida acelerada. Para mim a 200c é pura diversão. Já a Duke 390cc me pareceu uma moto mais séria e embora igualmente fácil de pilotar, seu melhor momento certamente é em estradas mais livres, como em rodovias, onde o piloto pode “encher o motor” tirar o proveito máximo dela. Para viagens mais longas, a Duke 390cc me pareceu a melhor escolha.

Do ponto de vista do consumidor, não me furtei da oportunidade em avaliar os valores para aquisição e manutenção das motos. Como utilizo muito a motocicleta para trabalho, me foquei na KTM 200cc, pois ela me pareceu mais apropriada. Ela é vendida ao preço aproximado de R$ 15.990,00, tendo um seguro que pode variar de acordo com o perfil. De acordo com a revenda do local (Mauri Motos), o seguro pode chegar a uns R$ 1.200,00. A manutenção é bem baixa, sendo feitas revisões com 1.000 km, depois a cada 7.500 km. O preço de mão de obra nas revisões é de R$ 250,00 aproximadamente, somando-se a este valor as peças que por ventura precisem ser substituídas e o óleo de motor. Eles sugerem trocar o óleo do motor a cada 2.500 km. Atualmente, só existe uma revenda em Porto Alegre, e é justamente a Mauri Motos (maurimotos.com.br), localizada na Av. Assis Brasil, 172, telefones (51) 3391-6842/3391-6843 e também na Assis Brasil, 1374, telefones (51) 3013-1665/3013-1666.

Por fim, minha conclusão sobre tudo que vi e experimentei no dia do evento, foi uma motocicleta fantástica e inspiradora, que pode ser usada tanto no dia-a-dia quanto para viagens. Dois sonhos de motocicletas, acessíveis ao consumidor e que certamente trarão boas experiências e lembranças. Por fim, sim, eu compraria qualquer um dos modelos de motocicleta da KTM, sejam eles a Duke 200cc ou Duke 390cc.

Todas as informações apresentadas neste parecer foram obtidas através da equipe KTM que coordenou o evento, o piloto Lucas Paschoalin, materiais técnicos disponibilizados no dia do evento, impressões minhas a partir da experiência de pilotagem das motos e algumas informações foram obtidas ainda em sites de internet. Abaixo seguem algumas fotos do dia do evento.

* ATENÇÃO: Fique ligado, pois nos próximos dias você confere aqui no MOTO.com.br os vídeos com mais informações a partir das experiências com as motos KTM 200 Duke e 390 Duke trazidas por Alessandro Lima na etapa do Duke Tour - Porto Alegre.

Fotos: Alessandro Lima/Acervo Pessoal



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Moto impressa em 3D tem motor da Kawasaki H2

Ducati tem nova tabela de preços para dezembro no Brasil

Yamaha MT-07 conta com novas cores para 2017

Mercado: Venda de motos cresce 13,27% em novembro

Detran.SP: Permissão internacional pode ser solicitada online

Manutenção correta do freio é sinônimo de segurança na moto

Honda CRF 1000L Africa Twin ganha ainda mais apelo Off Road

BMW apresenta a aventureira compacta G 310 GS

Mudanças deixam Yamaha MT-09 mais radical para 2017

Suzuki V-Strom 250 2017 mostra a cara no Salão de Milão

Yamaha promete inusitada Ténéré 700 para 2018

Honda CRF 1000L Africa Twin chega nas lojas a partir de R$ 64.900

Honda revela nova custom Rebel 500 nos Estados Unidos

Ducati barbariza com novos modelos da linha 2017


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras