moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Kawasaki Ninja 1000, uma sport-touring para quem tem pressa de chegar

14 de March de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Carlos Bazela

No motociclismo, o nome Ninja remete automaticamente à esportividade, com direito a joelhos raspando no chão e alta velocidade. A Ninja 1000 ajudou a quebrar este paradigma ao trazer características de sport-touring para a família. Agora, em sua nova geração, que deve chegar ainda no primeiro semestre deste ano ao Brasil, a moto recebeu malas laterais rígidas, cavalos extras de potência e implementos eletrônicos para mostrar que conforto e aptidão para viajar também fazem parte da linhagem de superbikes da Kawasaki.

Por fora, é possível ver pequenas mudanças na nova Ninja 1000. A começar pela pintura. Os tons de verde e preto permanecem, mas em um esquema diferente. O “escudo” negro no meio da carenagem deu lugar a um painel pintado na mesma cor do restante da moto, deixando a cor escura para a parte de baixo. Os escapes duplos dos dois lados também mudaram e são os mesmos que equipam a nova geração da naked Z1000, com desenho mais anguloso e na cor prateada.

Sobre o conjunto de malas rígidas, oferecido com item de série no modelo brasileiro, a Kawasaki foi cuidadosa. Desde o reposicionamento dos piscas traseiros até um sistema de engate que não compromete o design esportivo da moto quando elas são removidas. Assim, a Ninja 1000 ainda conserva suas linhas esguias e o perfil de esportiva sem suportes aparentes. Cada mala tem 29 litros de capacidade. O suficiente para acomodar com folga um capacete fechado.

Quatro cilindros em linha
O coração da Ninja 1000 está um pouco mais forte. O quatro cilindros em linha de 1.043 cm³ recebeu quatro cavalos a mais e agora é capaz de gerar 142 cv, graças à reprogramação da Central Eletrônica (ECU). Nos freios, a sport-touring mantém a configuração do disco duplo tipo pétala com 300 mm de diâmetro na roda dianteira, mordidos por pinças Tokico de quatro pistões opostos, fixadas em posição radial. De acordo com a marca, todavia, o material das pastilhas foi substituído para aumentar o coeficiente de atrito e melhorar a sensibilidade da frenagem. Já na roda traseira, tudo igual, uma vez que o disco simples de 250 mm de diâmetro e pinça de pistão único.

A Ninja 1000 é montada sobre um quadro de alumínio, criado para garantir equilíbrio e firmeza nas curvas. Característica reforçada pela suspensão dianteira invertida com ajuste no retorno e na pré-carga da mola, configuração preferida para as superesportivas, de 120 mm de curso. Na balança traseira, a moto conta com um monoamortecedor horizontal com link de ajuste a gás de 138 mm de curso. Ambos os conjuntos foram pensados para oferecer estabilidade mesmo em pilotagens mais agressivas.

Por falar em pilotagem agressiva, ainda que a Kawasaki evidencie a esportividade da moto e o nome Ninja tenha peso forte entre as superbikes, conforto ainda é palavra de ordem para o modelo. Assim, as pedaleiras são menos recuadas do que na ZX-10R, por exemplo, e os semiguidões são mais altos para oferecer posição de pilotagem mais aprazível para as conduções por períodos estendidos. A moto, aliás, é vendida com o nome de Z1000SX na Europa. Ou seja, uma versão carenada da naked de um litro. A nomenclatura Ninja 1000 é utilizada nos Estados Unidos e também aqui no Brasil.

Tecnologia touring
Além do parabrisa com regulagem em três níveis, as malas rígidas e a potência extra no propulsor, a Ninja 1000 passa a contar com o pacote eletrônico da Kawasaki. Foram incorporados ao modelo 2014 o tradicional controle de tração da marca (KTRC) e dois modos de pilotagem.

Ajustável em três níveis, o controle de tração prioriza a esportividade nos dois primeiros, enquanto a terceira regulagem aumenta a estabilidade para cruzar superfícies escorregadias. O piloto também pode optar por desligar a ajuda eletrônica. Já os modos de pilotagem são divididos em Full Power e Low Power mode, e, como os nomes descrevem, regulam a quantidade de potência a ser entregue pelo propulsor. A nova Ninja 1000 chega às concessionárias brasileiras da Kawasaki ainda neste semestre. O preço ainda não foi definido.

Fotos: Divulgação



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Moto impressa em 3D tem motor da Kawasaki H2

Ducati tem nova tabela de preços para dezembro no Brasil

Yamaha MT-07 conta com novas cores para 2017

Mercado: Venda de motos cresce 13,27% em novembro

Detran.SP: Permissão internacional pode ser solicitada online

Manutenção correta do freio é sinônimo de segurança na moto

Honda CRF 1000L Africa Twin ganha ainda mais apelo Off Road

BMW apresenta a aventureira compacta G 310 GS

Nova Honda CBR 1000RR SP é puro sangue em rédea curta

Mudanças deixam Yamaha MT-09 mais radical para 2017

Suzuki V-Strom 250 2017 mostra a cara no Salão de Milão

Honda CRF 1000L Africa Twin chega nas lojas a partir de R$ 64.900

Yamaha promete inusitada Ténéré 700 para 2018

Honda revela nova custom Rebel 500 nos Estados Unidos


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras