moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Guia de Compra: Motos entre R$ 30 e 35 mil

11 de March de 2015
Compartilhe este conteúdo:

 

Muitos colocam a quantia de R$ 30.000 como o teto para gastar em uma moto. Mas porque não aumentar um pouco até R$ 35.000? Nessa faixa de preço, existem diversas opções interessantes: desde nakeds modernas, passando por modelos de estilo clássico, até sport-touring para viajar e custom para desfilar. 

São motos mais potentes, mas com manutenção e seguro mais caros. Portanto, é importante levar em conta o quanto se pode gastar para manter um modelo como esse e não apenas se é possível pagar o valor da moto. Confira em mais esse guia de compras, o preço das peças, do seguro e a avaliação de nossa equipe sobre cada uma delas.

Honda XL700V Transalp - R$ 30.990,00 (R$ 32.990 C-ABS)
Lançada no Brasil em 2011, a big-trail Honda XL700V Transalp não sofreu nenhuma modificação significativa até os dias de hoje. Descontinuada na Europa, a Transalp oferece boa ergonomia, conforto, e tem uma entrega de potência e torque que não decepcionam. O motociclista conta com uma boa posição de pilotagem e um banco largo, capaz de fazer o piloto suportar várias horas de estrada antes do abastecimento. A aventureira da Honda faz, em média, 18 km/l. Com tanque de 17,5 litros, tem autonomia de 300 km.

A Transalp tem motor SOHC, bicilíndrico em V a 52º, com capacidade cúbica de 680 cm³, alimentado por injeção eletrônica. Sua principal característica é a versatilidade para rodar em estradas de terra ou asfalto. Boa opção se você quer uma big-trail confortável para viagens e não pretende se aventurar no fora-de-estrada muito radical.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 330,77
Pastilha traseira: R$ 294,88
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 134,51
Manete esquerdo: R$ 124,93
Retrovisor esquerdo: R$ 104,12
Conjunto óptico: R$ 941,84
Troca de óleo com filtro: R$ 133,82
Garantia: 1 ano sem limite de quilometragem

Suzuki GSX 650F – R$ 31.000,00
A Suzuki GSX 650F é uma moto dócil e confortável, indicada para quem vai viajar, já que oferece banco em dois níveis, guidão mais alto e preso sobre a mesa por meio de coxins. Isso resulta em uma melhor postura para o piloto. Assim, a 650F é uma boa opção para quer um bom desempenho sem abrir mão do conforto. Apesar de estilo esportivo, a moto traz a alma da naked Bandit 650 com alguns benefícios, por exemplo, a proteção aerodinâmica oferecida pela carenagem integral e o apelo visual, que agrada muitos motociclistas.

A motorização da GSX 650F é a mesma da linha Bandit 650: quatro cilindros em linha, 656 cm³, DOHC, que produz 85 cv de potência máxima e 6,27 kgf.m de torque. Tem também as mesmas qualidades de suas irmãs "peladas": torque desde as baixas rotações; engates de marchas macios e precisos; e motor liso que entrega a potência de forma gradativa, sem assustar.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 490,00
Pastilha traseira: R$ 463,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 215,00
Manete esquerdo: R$ 355,00
Retrovisor esquerdo: R$ 648,00
Conjunto óptico: R$ 1.711,00
Troca de óleo: R$ 250,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Triumph Bonneville T 100 – R$ 31.490
Feita para quem quer rodar com estilo, a T 100 é uma reedição da clássica moto inglesa. A Bonneville atual se destaca pelo “liso” motor de dois cilindros paralelos. Com refrigeração a ar, DOHC (duplo comando no cabeçote), e 865 cm³, é capaz de gerar 68 cv de potência e traz injeção eletrônica.

Na parte ciclística, a T 100 usa freios a disco nas duas rodas, garfo telescópico convencional, na dianteira, e sistema bichoque atrás. Os acertos das suspensões privilegiam o conforto e absorvem bem as imperfeições do asfalto na cidade. Bela e clássica, não é uma moto leve e nem ágil: são 225 kg em ordem de marcha. Ideal para quem quer se diferenciar e desfilar por aí com uma clássica “moderna”. Não tem ABS como opcional e não é muito prática para usar todo dia. O conforto também não é dos melhores.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 295,99
Pastilha traseira: R$ 268,27
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 284,67
Manete esquerdo: R$ 259,00
Retrovisor esquerdo: R$ 485,55
Conjunto óptico: R$ 1.114,49
Troca de óleo: R$ 340,00
Garantia: 2 anos

Suzuki Bandit 650N – R$ 31.900
Com a bem sucedida proposta de ser uma “moto com cara de moto”, a linha Suzuki Bandit de 650cc se mantém no mercado há 15 anos. Renovada em 2011, manteve a mesma base mecânica, porém com um visual novo para ganhar uma sobrevida, com um farol de linhas ovais com uma pequena carenagem.

O propulsor de quatro cilindros em linha e 656 cm³ de capacidade tem alimentação eletrônica com muito torque em baixas e médias rotações. E vem justamente do motor um dos grandes motivos do sucesso da Bandit: seja para rodar pela cidade sem trocar muito de marcha, usufruindo do bom torque, ou para acelerar mais esportivamente, o motor de quatro em linha responde bem. Na parte ciclística, quadro berço duplo em aço, garfo telescópico dianteiro convencional e balança traseira monoamortecida. Os freios a disco são outro destaque do modelo. O conforto também é um de seus pontos fortes. Se você não se preocupa muito com o fator “novidade”, a Bandit é uma naked tradicional e honesta para ser sua única moto, porém um pouco pesada.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 490,00
Pastilha traseira: R$ 463,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 215,00
Manete esquerdo: R$ 355,00
Retrovisor esquerdo: R$ 648,00
Conjunto óptico: R$ 1.711,00
Troca de óleo: R$ 257,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Honda CTX 700N – R$ 32.077
Esqueça as custom pesadas de visual clássico e motor V2 “vibrante”, a Honda CTX 700N veio para mudar esses conceitos. Desenvolvida para atrair quem ainda não anda de moto, a CTX aposta em um visual mais futurista e em um motor bicilíndrico semelhante ao usado na NC 700X. Embora tenha a mesma arquitetura – dois cilindros paralelos, 669,6 cm³, – o propulsor tem desempenho mais modesto na CTX 700N. O torque máximo é de 6,12 kgf.m a 4.750 rpm e a potência, de 47,6 cv a 6.250 rpm. Sua central eletrônica (ECU) foi reprogramada para proporcionar mais torque em baixos e médios regimes.

Importada, a CTX 700N oferece boa ergonomia e é fácil de pilotar. Com assento baixo (a apenas 72 cm do solo) e boa distribuição de peso, está sempre na “mão”. Não empolga muito em termos de desempenho, mas compensa no conforto e na posição de pilotagem relaxada, com os braços e pés esticados. Indicada para quem gosta da posição de pilotagem “custom”, mas quer algo mais moderno.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 330,77
Pastilha traseira: R$ 270,09
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 179,29
Manete esquerdo: R$ 75,11
Retrovisor esquerdo: R$ 156,78
Conjunto óptico: R$ 1.263,21
Troca de óleo: R$ 161,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Honda CBR 650F – R$ 32.159 (R$ 34.465 com ABS)
Para atrair mais consumidores as fábricas têm oferecido motos que atendam todo tipo de piloto, seja ele novato ou mais experiente no mundo duas rodas. A mais nova sport-touring da Honda, a CBR 650F, segue essa receita racional. Uma máquina fácil e também divertida de pilotar. Produzida em Manaus (AM), a CBR 650F está disponível nas sóbrias cores vermelha e branca (esta só na opção com ABS).

O motor de quatro cilindros e 649 cm³, completamente novo, tem potência razoável (87 cv), porém bastante torque em baixos e médios giros, até atingir o pico de 6,4 kgf.m a 8.000 rpm. Suave e linear, o propulsor tem boa aceleração e só vai decepcioná-lo se você for para um autódromo. Embora tenha uma ciclística espartana, a CBR 650F não é pesada e também se mostra ágil para o uso diário e fácil de pilotar. A posição de pilotagem mescla a esportividade dos semiguidões com um banco confortável. Indicado para quem curte o visual esportivo, mas pretende usar a moto no dia-a-dia ou em viagens.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 304,22
Pastilha traseira: R$ 125,96
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 386,47
Manete esquerdo: R$ 55,34
Retrovisor esquerdo: R$ 126,26
Conjunto óptico: R$ 488,28
Troca de óleo: R$ 155,36
Garantia: um ano, sem limite de quilometragem

Triumph Thruxton – R$ 32.490
A Thruxton é uma versão café racer da Bonneville T 100. A pequena carenagem que envolve o farol, os guidões curvados para baixo, as pedaleiras recuadas e o ronco compassado do motor “imitam” as motos de rua transformadas para correr nos anéis viários de Londres em um misto de improvisação e rebeldia da juventude de 1950.

O motor de dois cilindros paralelos, 865 cm³, teve o desempenho aprimorado e a potência foi ampliada para 69 cavalos de potência (contra 68 cv da Bonnie). O guidão curvado e a posição recuada das pedaleiras fazem com que o piloto coloque mais peso sobre o trem dianteiro. Na prática, proporciona mais estabilidade em altas velocidades e um melhor posicionamento para contornar curvas. Por outro lado, limita o ângulo de esterço e oferece menos conforto do que na Bonneville.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 314,68
Pastilha traseira: R$ 268,27
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 284,67
Manete esquerdo: R$ 259,00
Retrovisor esquerdo: R$ 480,30
Conjunto óptico: R$ 1.114,49
Troca de óleo: R$ 340,00
Garantia: 2 anos

Suzuki Bandit 650S – R$ 32.900
A Suzuki Bandit 650 S, em função da semi-carenagem, é um meio-termo entre a Bandit naked e a GSX 650F, pois oferece uma maior proteção aerodinâmica para o piloto na estrada. O banco largo garante ainda bastante conforto como em suas irmãs. Defasada em termos estéticos e ciclísticos, o modelo da Suzuki surpreende pela facilidade de pilotagem.

O motor da Bandit 650S, de 656 cm³ de capacidade cúbica, quatro cilindros e com arrefecimento líquido, foi projetado para trabalhar de forma equilibrada entre o dueto potência e torque. A transmissão, de seis velocidades, oferece engates macios e precisos. Uma boa opção se você usa a moto todo dia e dá aquelas escapadas no final de semana. Com freio a disco em ambas as rodas, infelizmente, a família 650 da Suzuki não conta com freios ABS.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 490,00
Pastilha traseira: R$ 463,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 215,00
Manete esquerdo: R$ 355,00
Retrovisor esquerdo: R$ 648,00
Conjunto óptico: R$ 1.711,00
Troca de óleo: R$ 257,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Suzuki Boulevard M 800 – R$ 32.900
Típica custom longa e baixa (long and low), a Boulevard M800 tem motor V2 a 45° com bastante torque e praticamente nenhuma vibração. Seu conjunto de suspensões e freios é um dos mais equilibrados do segmento. Destaque também para a suspensão dianteira invertida (upside-down).

Equipado com refrigeração líquida, este V2 (SOHC) tem torque de 7,04 kgf.m a 4.000 rpm, o que resulta em poucas trocas no macio câmbio de cinco marchas. Essa Suzuki ainda conta com transmissão final por eixo-cardã, que dispensa lubrificações e revisões periódicas. Fácil de pilotar, macia e com um conjunto ciclístico excelente, que disfarça seus quase 270 kg de peso, fazem dessa Boulevard M 800 uma boa opção no segmento.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 400,00
Pastilha traseira: R$ 396,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 285,00
Manete esquerdo: R$ 465,00
Retrovisor esquerdo: R$ 563,00
Conjunto óptico: R$ 1.243,00
Troca de óleo: R$ 210,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Kawasaki Vulcan 900 Classic – R$ 32.990
Estradeira de estilo clássico, a Kawasaki Vulcan 900 Classic é espartana e, ao mesmo tempo robusta, e pilotá-la nos remete ao passado. Os comandos simples, a ciclística tradicional e a ergonomia confortável credenciam até os menos experientes a viajar com a Vulcan.

O motor não é o dos mais empolgantes. Seu propulsor de 903 cm³ de capacidade e dois cilindros em “V”, gera 50 cv a 5.700 rpm. Essa potência não consegue levar os 282 kg (peso seco sem o uso de acessórios) além dos 150 km/h. Mesmo vibrando pouco, graças a um balanceador no eixo do virabrequim, este propulsor é muito “manso” para uma motocicleta com este porte. Como em outros tradicionais modelos custom, a Kawasaki optou pela transmissão final por correia dentada. Já os freios, ambos a disco, são bons. Não há sistema ABS, nem como opcional. Enfim, uma moto para “tiozão” que procura uma custom clássica!

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 220,69
Pastilha traseira: R$ 218,25
pisca dianteiro esquerdo: R$ 233,53
manete esquerdo: R$ 65,67
retrovisor esquerdo: R$ 185,80
conjunto óptico: R$ 388,31
troca de óleo: R$ 220,80
garantia da moto: 1 ano

Triumph Street Triple – R$ 32.990
A naked Street Triple é equipada com um motor tricilíndrico DOHC de 675 cm³ e com arrefecimento líquido, capaz de produzir 85,1 cv a 11.200 rpm. Com um design agressivo e um comportamento quase esportivo, a ciclística dessa versão “básica” já é digna de elogios e conta com freios ABS de série. O quadro é feito em alumínio, o que a deixa bastante leve: apenas 183 kg em ordem de marcha. A suspensão dianteira invertida e a balança traseira monoamortecida ganham o reforço dos bons pneus Pirelli Diablo Rosso Corsa para fazer dessa Street Triple uma “devoradora” de curvas. Ideal para quem busca uma naked para os deslocamentos diários, mas que também é divertida de pilotar nos passeios de fim de semana.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 299,02
Pastilha traseira: R$ 284,67
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 286,67
Manete esquerdo: R$ 259,00
Retrovisor esquerdo: R$ 485,11
Conjunto óptico: 1.946,98
Troca de óleo: R$ 301,00
Garantia: 2 anos

Kawasaki Vulcan 900 Custom - R$ 33.990
Diferentemente da sua irmã Classic, a versão Custom da Vulcan 900 aposta em uma receita chopper: garfo mais alongado, roda aro 21 na frente e guidão dragbar. O resultado, porém, é bastante interessante. A posição é muito confortável para viagens e o modelo também tem autonomia, já que o tanque manteve os 20 litros de capacidade. No restante, essa Kawa mantém as qualidades de sua irmã: motor liso, câmbio suave e uma boa ciclística – o monoamortecedor traseiro conta até mesmo com regulagens. Os freios – disco simples na frente e atrás – poderiam ser mais eficazes, já que o modelo pesa 278 kg.

Mas o apelo visual é uma das principais armas da VN 900 Custom: pintada na cor preta ela parece mesmo ter sido customizada. Boa opção para quem busca uma custom com visual e acabamento diferenciado. Mas não se trata de uma moto prática para todo dia.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 220,69
Pastilha traseira: R$218,25
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 233,53
Manete esquerdo: R$ 65,75
Retrovisor esquerdo: R$ 185,80
Conjunto óptico: R$ 411,47
Troca de óleo: R$ 220,80
Garantia: 1 ano

Harley-Davidson Iron 883 - R$ 34.100
Equipada com o motor Evolution de 883 cm³, a Iron é uma integrante da família Sportster com poucos cromados e um visual cheio de estilo. Conta com rodas de liga-leve raiadas, e freios ABS de série. Mas como nem sempre estilo combina com praticidade, a Iron 883 tem apenas um banco solo – e se você quiser levar garupa vai ter que gastar um bom dinheiro com o acessório.

Se você é fã de Harley-Davidson e procura uma motocicleta urbana para rodar no dia-a-dia, a Iron é uma boa opção. Cheia de estilo, tem motor V2 e chama a atenção por onde passa. Porém, há opções mais práticas e versáteis para aguentar a pauleira do dia-a-dia – o conjunto de suspensões costuma dar fim de curso com freqüência e a capacidade de carga é nula. Mas tudo é uma questão de gosto e de bolso. Até porque as Harley nasceram para serem personalizadas.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 395,00
Pastilha traseira: R$ 330,80
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 282,26
Manete esquerdo: R$ 155,00
Retrovisor esquerdo: R$ 221,39
Conjunto óptico: R$ 557,94
Troca de óleo: R$ 363,00
Garantia: 2 anos

Suzuki Bandit 1250 – R$ 34.900
Motor de quatro cilindros em linha com 98 cv cavalos de potência máxima; posição de pilotagem confortável; robusto quadro em aço; suspensões simples, porém funcionais; freio a disco nas duas rodas; e o tradicional visual naked, “pelado”, sem carenagem. Assim é a Suzuki Bandit 1250, a naked de maior capacidade cúbica que você pode ter até R$ 35.000.

Seu visual, claro, ficou um pouco ultrapassado e seu projeto já é antigo. Mas isso não é ruim. Essa boa e velha naked cumpre o que promete. Ou seja, se você quer uma moto “grande”, quatro cilindros e com uma receita à moda antiga, a Suzuki Bandit 1250 poderá lhe agradar. Mas vale ressaltar que se você quer uma moto moderna, com mais tecnologia, menos peso (ela pesa 247 kg em ordem de marcha), e um comportamento esportivo, a velha “bandida” poderá lhe decepcionar.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 490,00
Pastilha traseira: R$ 463,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 293,00
Manete esquerdo: R$ 355,00
Retrovisor esquerdo: R$ 785,00
Conjunto óptico: R$ 1.711,00
Troca de óleo: R$ 270,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Suzuki Boulevard M800R – R$ 34.900
A Boulevard M800R tem a mesma base mecânica da M800, porém com outro conjunto óptico que lhe confere um estilo mais clássico. O motor V2 também produz os mesmos 53 cv de potência máxima com bastante torque desde os baixos giros: o máximo de 7,04 kgf.m já aparece nas 4.000 rpm.

Confortável e com boa ciclística, a Boulevard é um típica custom japonesa com refrigeração líquida e transmissão final por eixo-cardã, reduzindo as manutenções. Em função do motor e ciclística, a M800R só vale a pena se você gostar mesmo do novo farol, cheio de cromados. Caso contrário, fique com a versão sem o “R” que é R$ 2.000 mais em conta e trata-se exatamente da mesma moto.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 400,00
Pastilha traseira: R$ 396,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 285,00
Manete esquerdo: R$ 465,00
Retrovisor esquerdo: R$ 583,00
Conjunto óptico: R$ 1.250 (globo) + R$ 700 (carenagem)
Troca de óleo: R$ 250,00
Garantia: 1 ano, sem limite de quilometragem

Yamaha Midnight Star XVS950A - R$ 34.950,00
A Yamaha XVS 950 Midnight Star faz parte de um seleto grupo de motos custom que deixaram de lado o estilo clássico e apostaram suas fichas na fluidez das formas com uma pitada de esportividade. Para este projeto, a Yamaha adotou um propulsor V2 a 60 graus, porém com pistões forjados e com tratamento cerâmico nos cilindros. Com 942 cm³ de capacidade, o motor da XVS 950 conta com alimentação por injeção eletrônica e arrefecimento a ar.

O propulsor gera 53,6 cv de potência a 6.000 rpm e torque de 7,83 kgf.m a 3.000 rpm. Esses números de desempenho se traduzem em muita força em baixas e médias rotações. A transmissão secundária é feita por uma correia dentada, silenciosa e sem trancos. O consumo médio é de 17 km/l – com seu tanque com capacidade para 17 litros resulta em uma autonomia de quase 300 km.

Quanto custa manter uma?
Pastilha dianteira: R$ 195,71
Pastilha traseira: R$ 181,45
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 211,67
Manete esquerdo: R$ 52,67
Retrovisor esquerdo: R$ 223,78
Conjunto óptico: R$ 1,144,44
Troca de óleo: R$ 235,00
Garantia: 1 ano

Foto: Reprodução



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

MOTO.com.br renova layout da sua versão mobile

Eurobike oferece desconto para a linha S da BMW

Nova Kawasaki Ninja H2 Carbon chega por R$ 164 mil

Honda apresenta linha 2017 da aventureira XRE 300 no país

MV Agusta promete Dragster especial em Verona

Triumph revela linha 2017 da Street Triple na Inglaterra

Polaris suspende atividades da Victory Motorcycles

Clássica Honda CB 1100EX chega aos EUA

Honda mostra moto que se equilibra sozinha na CES 2017

Nova naked Street Triple da Triumph deve ter motor de 800cc

Vídeo: Empinando no gelo a mais de 200 km/h de BMW S 1000 XR

Honda apresenta linha 2017 da aventureira XRE 300 no país

LifeMotosBr: CB Twister - Relatório de 1 ano de uso da moto

Triumph revela linha 2017 da Street Triple na Inglaterra


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras