moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Especial Olimpíada Rio 2016: 7 motos olímpicas

Entramos no clima dos Jogos Olímpicos do Rio e escalamos uma moto para cada modalidade

04 de August de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Os Jogos Olímpicos Rio 2016, que acontecem de 5 a 21 de agosto no Rio de Janeiro (RJ), reunirão mais de 11 mil atletas distribuídos em 42 modalidades e que participarão de 306 provas. Os esportistas buscam vitórias, quebras de recorde e, é claro, a tão cobiçada medalha. Para isso seus corpos foram moldados ao longo dos anos para ter força, velocidade, agilidade e resistência para superar seus limites. Para entrar no clima olímpico, escolhemos sete motos que seriam forte competidoras em sete modalidades.

Confira:

100 metros rasos:
 A final dos 100 metros rasos será uma das provas mais esperadas da Rio 2016. Quem será o mais veloz: o jamaicano Usain Bolt ou o norte-americano Justin Gatlin? Na categoria das motos superesportivas o páreo também é duríssimo entre a Yamaha YZF-R1M e a BMW S 1000RR. O modelo japonês traz um motor de quatro cilindros de 200 cv e 199 quilos (em ordem de marcha). Já a moto alemã também usa propulsor de quatro cilindros em linha, porém com 199 cv e 204 quilos abastecida e pronta para rodar. Ambas fazem de 0 a 100 metros na casa dos três segundos e ultrapassaram a barreira dos 200 km/h com facilidade. Pura explosão e potência!

Halterofilismo: Nesta modalidade, o que vale é força bruta e resposta imediata. No mundo moto, um modelo que representa bem esta modalidade é a nova Ducati XDiavel, que chega às lojas em setembro a partir de R$ 74.900. Intimidadora e musculosa, a power cruiser está equipada com um motor Testastretta DVT – de dois cilindros e 1.262 cc – , que produz 156 cv de potência máxima e impressionantes 13,35 kgf.m de torque. Força de sobra para tirar os 247 kg da italiana da imobilidade.

Hipismo: Nas provas de hipismo, a dupla – homem e cavalo - precisa de muita harmonia para superar os obstáculos. Isso também ocorre nas provas de motocross. Nesta modalidade escolhemos a Yamaha YZ450FM. O bom desempenho desta off-road vem do motor quatro tempos de 449,7cc, aliado ao eficiente conjunto de suspensões e ao bom preparo físico e psicológico do piloto. Esta fusão de características levaram Romain Febvre, francês de 23 anos, ao título mundial da categoria MXGP em 2015.

Luta greco-romana: A naked mais potente do mundo, com 180 cv de potência máxima, a KTM 1290 Super Duke R é uma streetfighter nata. O visual do modelo austríaco é marcado por linhas angulosas e uma aparência musculosa que transmite a impressão de que a moto está pronta para a luta, seja na estrada ou na pista. Esta “besta” também tem muita força: quase 15 kgf.m de torque máximo para dar um verdadeiro soco no estômago!

Natação: Para as provas na água optamos por uma moto aquática. Ou melhor, um jet ski Kawasaki. Para enfrentar qualquer tipo de mar, o Ultra 310R é considerado um dos mais potentes de sua categoria. Equipado com Supercharger e Intercooler, o motor deste jet ski – quatro tempos, quatro cilindros em linha, 16 válvulas e 1.498 de capacidade cúbica –, gera 310 cv de potência máxima e 29,2 kgf.m de torque máximo. Com certeza o Ultra 310R deixaria Michael Phelps vendo borbulhas!

Pentatlo: A modalidade reúne esgrima, natação, hipismo, tiro e corrida. Aqui a palavra-chave é versatilidade. A representante do segmento de duas rodas que se enquadra neste requisito é a BMW R 1200 GS Adventure. Versátil, a bigtrail está pronta para encarar qualquer tipo de desafio. A Adventure é capaz de gerar 125 cv de potência e torque máximo de 12,6 kgf.m. Já o grande tanque de 30 litros lhe dá uma autonomia de cerca de 500 quilômetros em condições racionais de uso.

Decatlo: Força, rapidez, resistência e regularidade. Estas características forjam o atleta que participa desta modalidade, que reúne 10 provas de atletismo. Para esse desafio convocamos a Honda CB 500X, uma crossover racional. Renovada, o conjunto ganhou regulagem de suspensão e manete do freio, além de um visual mais jovial em função das novas cores e grafismo. O motor se manteve o mesmo: um bicilíndrico de 471 cm³ de capacidade com duplo comando no cabeçote (DOHC) e que oferece 50,4 cv de potência máxima. Com boas médias de consumo – em torno de 26 km/l – a CB 500X é bastante regular: pode ser usada no dia-a-dia, viagens dentro e fora da estrada.


TEXTO: Aldo Tizzani / Agência INFOMOTO

FOTOS: Divulgação



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Especial: A volta da CB 400

Honda CBR 250RR de competição é mostrada no Salão de Osaka

LifeMotosBr: CBR 600F - Hayabusa´s Day agita Porto Alegre

Vyrus 986 M2 Stradale: protótipo direto da Moto2 para as ruas

Ryno Motors é um inovador e moderno monociclo elétrico

Enquete MOTO.com.br - Que trail compacta você quer no Brasil

Honda futurista aparece em novo filme de Scarlett Johansson

Yamaha XJ6N ganha novo esquema de cores na linha 2018

Honda futurista aparece em novo filme de Scarlett Johansson

Hesketh Valiant SC é uma incrível máquina de 210 cavalos

Enquete MOTO.com.br - Que trail compacta você quer no Brasil

Ryno Motors é um inovador e moderno monociclo elétrico

Vyrus 986 M2 Stradale: protótipo direto da Moto2 para as ruas

Honda CRF1000L Africa Twin ganha versão mais extrema na Itália


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras