moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Entrevista: Harley-Davidson em alta no Brasil

11 de September de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Aladim Lopes Gonçalves

A Harley-Davidson iniciou uma nova fase no Brasil em 2011 com a chegada da operação oficial de motos no mercado nacional. A fábrica da marca americana no Polo Industrial de Manaus (AM) foi remodelada e modernizada para atender o aumento da demanda de motos Premium. No ano em que completa seu aniversário de 110 anos de fundação e com um bom posicionamento no ranking de vendas no país a lendária fabricante de Milwakee promete fazer bonito na edição 2013 do Salão Duas Rodas, como você confere nessa entrevista com Júlio Vitti, gerente da Harley-Davidson do Brasil.

MOTO.com.br: Conte um pouco de sua formação e da sua trajetória profissional.

Júlio Vitti: Sou formado em Economia e pós-graduado em Marketing. Minha carreira começou na Shell, em 1993. Na sequência, fui para a General Motors, onde atuei em diversas áreas durante sete anos, como pós-venda, gestão de marca, planejamento de produto e gerência de vendas. Em 2002, já na Toyota, desenvolvi trabalhos em planejamento e estratégia de Marketing por três anos e fui expatriado para o Japão, entre 2005 e 2007, para coordenar a área de produto para países da América Latina, além de analisar os impactos da legislação local, gerenciar a inteligência de mercado e avaliação dos concorrentes para os mercados latino-americanos e, ainda, gerir preço e retorno das exportações dos modelos japoneses. De volta ao Brasil permaneci na Toyota até 2010, como gerente de Produto e Preço, liderando o processo de planejamento e gestão de implementação de aperfeiçoamento de produto para Brasil e Argentina, entre outras atividades. Estou na Harley-Davidson desde julho de 2010 e sou responsável pelas áreas de Marketing, Produto e Relações Públicas, que envolve todas as atividades de comunicação, marketing, definição de produtos, avaliações de mercado, relacionamento com cliente, inclusive H.O.G., o clube de proprietários da marca. Esse período na Harley-Davidson do Brasil tem sido um desafio importante, muito gratificante na minha carreira e tem me trazido experiências memoráveis e especiais, inclusive pessoalmente.

MOTO.com.br: Que balanço a marca faz da sua atuação, em termos de números e novidades para o consumidor de motos e de outros produtos da marca?

Júlio Vitti: O balanço é muito positivo. Há dois anos, assumimos a operação comercial no Brasil com o compromisso de oferecer aos clientes daqui uma experiência premium que melhor representasse a nossa marca e estamos trabalhando intensamente para isso. Hoje, temos atualmente 15 concessionárias no País, inclusive em mercados como o Nordeste, onde a marca não estava anteriormente. Desenvolvemos uma rede forte e preparada para atender os clientes da marca, com um portfólio completo de produtos, acessórios e General Merchandise, e um pós-vendas especializado. Além disso, fizemos uma série de eventos memoráveis, como o Rio Harley Days, o National H.O.G. Rally e a festa em comemoração aos 110 anos da marca, visando proporcionar experiências únicas e fortalecer nossa relação de longo prazo com os clientes, bem como apresentar o estilo de vida da Harley-Davidson para mais consumidores. Em 2014, vamos realizar o segundo National H.O.G. Rally, em 1º de maio, em local a ser confirmado e a terceira edição do Harley Days, um evento realizado em várias partes do mundo e aberto a todos, não só motociclistas ou clientes. Também vamos continuar trabalhando para aperfeiçoar cada dia mais o H.O.G. no Brasil e promover ações que ofereçam aos clientes a oportunidade de viver intensamente o mundo Harley-Davidson. Todas essas iniciativas vêm refletindo positivamente nos números. Fechamos o primeiro ano de operações com cerca de 4,3 mil motocicletas licenciadas, sendo que as vendas foram iniciadas apenas em abril com duas concessionárias. No ano passado, foram emplacadas 6.855 motos da marca, segundo dados do Denatran. Para 2013, a expectativa é manter esse bom desempenho na comercialização dos produtos.

MOTO.com.br: A Harley-Davidson possui uma relação diferente com o seu consumidor. Como a marca construiu essa relação tão forte e intensa com o seu cliente no Brasil e no mundo?

Júlio Vitti: Há 30 anos, quando poucas empresas tinham a visão de se aproximar de seu público consumidor, a Harley-Davidson teve a iniciativa de criar o H.O.G., um clube exclusivo para os proprietários de motocicletas da marca. O objetivo era criar oportunidades para seus clientes rodarem juntos e vivenciarem o estilo de vida Harley-Davidson, além de aproximar a empresa do seu público mais fiel, desenvolvendo uma relação de longo prazo com eles e conhecendo-os a fundo. Essa estratégia de reuni-los e proporcionar experiências épicas, aliada à disseminação dos atributos da marca como amizade, liberdade e independência, estabeleceu um elo único. Hoje, sabemos que os consumidores da Harley-Davidson são realmente diferentes. Os ideais que eles alcançam quando compram carros ou outras motos são distintos dos que buscam uma Harley-Davidson. A Harley-Davidson não se refere apenas a transporte, não se trata de sair do ponto A para chegar ao B. Trata-se de viver a vida da maneira que você escolhe.

MOTO.com.br: Como será a participação da Harley-Davidson no Salão Duas Rodas em 2013?

Júlio Vitti: Em se tratando de Harley-Davidson, eles podem esperar muitas novidades sempre. Nosso objetivo é proporcionar momentos inesquecíveis para nossos clientes e fãs da marca. Isso nos norteia em todas as nossas ações e, no Salão Duas Rodas, vamos repetir esse feito, com a apresentação de novos modelos em um ambiente com a atmosfera da marca e dentro do conceito de liberdade e independência, inerentes ao nosso público. Em nossa primeira participação no Salão Duas Rodas de 2011, apresentamos diversos modelos inéditos no Brasil, além de lançar duas motocicletas simultaneamente com os Estados Unidos. Vamos trabalhar para atender aos pedidos de nossos clientes e fazer mais uma participação especial nesse importante evento do setor.

MOTO.com.br: A Harley-Davidson cogita algum dia produzir uma moto de baixa ou média cilindrada, a exemplo de outras marcas tradicionais que já estão se movimentando nesse sentido?

Júlio Vitti: Nosso negócio está concentrado nos modelos de alta cilindrada e não há planos para mudar esse direcionamento. A Harley-Davidson vai continuar investindo no mercado brasileiro, de forma a oferecer a seus clientes uma experiência diferenciada, com um portfólio completo de produtos, acessórios e General Merchandise e um pós-vendas especializado, além da realização de eventos no melhor estilo da marca.

MOTO.com.br: Como funciona a estrutura do H.O.G.? Cada concessionária organiza seu grupo e eventos ou são os próprios donos de motos que realizam os encontros?

Júlio Vitti: Sem dúvida o Harley Owners Group é muito forte nos EUA e também no mundo todo. O H.O.G. se tornou um grupo internacional e, hoje, tem mais de 1 milhão de membros em todo o mundo, o que faz do H.O.G. o maior e mais bem-sucedido clube de motociclismo patrocinado por um fabricante, além de tornar a Harley-Davidson uma marca icônica e posicioná-la em um lugar especial no universo das duas rodas. No Brasil, temos hoje cerca de 16 mil membros no H.O.G. e foi umas das nossas prioridades quando assumimos a operação comercial no Brasil em 2011. Nesses dois anos e meio, desenvolvemos uma série de eventos para que os consumidores daqui pudessem desfrutar da experiência e estilo de vida da marca, bem como nos aproximar desses fieis clientes, fortalecendo nossa relação de longo prazo com eles. Além desses encontros, os membros do H.O.G. contam com diversos benefícios, como descontos diferenciados em eventos da Harley-Davidson, revista trimestral exclusiva com histórias de clientes e atualidades sobre o mundo H-D, reconhecimento por quilômetros percorridos ou tempo como membro do clube, descontos em aluguéis de moto pelo mundo, por meio do programa Authorized Rentals, e em viagens organizadas pelas agências parceiras da Harley-Davidson, pelo programa Authorized Tours, e muito mais. A estrutura no Brasil é a mesma do resto do mundo: cada concessionária possui um chapter, com os membros do H.O.G. daquela região. Cada chapter conta com uma diretoria que trabalha voluntariamente para promover atividades, como passeios aos finais de semana, festas, atividades filantrópicas etc., tudo coordenado em conjunto com a concessionária e supervisionado pela Harley-Davidson do Brasil. A ideia é promover ações de integração e experiências únicas. Atualmente, temos 15 chapters no País.

Fotos: Divulgação



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Moto impressa em 3D tem motor da Kawasaki H2

Ducati tem nova tabela de preços para dezembro no Brasil

Yamaha MT-07 conta com novas cores para 2017

Mercado: Venda de motos cresce 13,27% em novembro

Detran.SP: Permissão internacional pode ser solicitada online

Manutenção correta do freio é sinônimo de segurança na moto

Honda CRF 1000L Africa Twin ganha ainda mais apelo Off Road

BMW apresenta a aventureira compacta G 310 GS

Nova Honda CBR 1000RR SP é puro sangue em rédea curta

Mudanças deixam Yamaha MT-09 mais radical para 2017

Suzuki V-Strom 250 2017 mostra a cara no Salão de Milão

Honda CRF 1000L Africa Twin chega nas lojas a partir de R$ 64.900

Yamaha promete inusitada Ténéré 700 para 2018

Honda revela nova custom Rebel 500 nos Estados Unidos


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras