moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Entrevista com o Campeão Brasileiro de MX, Carlos Campano

27 de October de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

A evolução dos pilotos brasileiros de motocross continua em ritmo acelerado dentro das pistas de todo o país, no entanto, os pilotos gringos que elevaram o atual nível das competições ainda estão acelerando mais forte. Prova disso é o título do Campeonato Brasileiro e Motocross conquistado pelo espanhol Carlos Campano, piloto da Yamaha, que também venceu o Arena Cross 2014.

Desde que chegou ao Brasil em 2012, Campano já venceu todas as competições que disputou e seguirá competindo no país na próxima temporada. Dentre os títulos que possui em terras canarinhas estão a extinta Super Liga Brasil de Motocross, dois Campeonatos Brasileiros e pela primeira vez o título do Arena Cross, conquistado também este ano.

Confira a entrevista que o piloto concedeu ao Moto.com.br, onde fala da carreira, dos títulos e de seu futuro no Brasil.

Moto.com.br: Devido a sua lesão você perdeu a etapa de Canelinha e chegou a ficar 38 pontos de diferença para o líder. Como você trabalhou o lado psicológico para recuperar e acabar com o título do campeonato?

Carlos Campano: Não foi tão difícil assim. No Arena Cross estava liderando, a pressão era bem maior pois nunca havia vencido a competição, já no Brasileiro tinha poucas possibilidades, não tinha muito o que fazer a não ser focar nas vitórias e esperar erros dos adversários. Sem essa pressão toda vim competindo por fora e no final deu tudo certo.

Moto.com.br: Como é o nervosismo quando o título está sendo disputado por poucos pontos de diferença na última etapa? Ele aumenta ou é igual as demais provas?

Carlos Campano: Para falar a verdade eu acredito que é até mais fácil competindo nestas condições. Você sabe que precisa ganhar a corrida e você fica focado somente nisso. Não existe outra possibilidade a não ser vencer, então a preparação fica mais tranquila.

Moto.com.br: A chegada de pilotos estrangeiros aumenta bastante o nível do motocross brasileiro e é sempre bem vinda. Como você vê a evolução dos brasileiros nas competições?

Carlos Campano: A evolução é grande, vou usar como exemplo o piloto Jean Ramos, quando cheguei aqui em 2012, ele já andava bem, porém sempre sofria quedas o que acabava tirando as chances de títulos. Hoje, após dois anos ele se mantém um ótimo piloto e diminuiu bastante suas quedas. Há também outros grandes pilotos que estão sempre em evolução, como é o caso do Balbi Jr., por exemplo.

Moto.com.br: Você já competiu em diversos campeonatos principalmente na Europa, gostaríamos de saber sua opinião em relação as organizações das provas aqui no Brasil. Você acha que deixa a desejar em relação às provas de lá?

Carlos Campano: Desde que cheguei aqui em 2012 percebi que em relação à organização e horários evoluiu. Mas, também deixou a desejar em questão dos locais das provas. No primeiro ano que competi as pistas eram maiores e as cidades cedes tinham estruturas. Este ano competimos em pistas menores e piores e em muitas vezes em lugares muito longe, nem mesmo um hospital próximo. Neste caso deve-se ter obrigatoriamente um helicóptero para resgate dos pilotos em caso de acidentes.

Moto.com.br: Qual etapa deste ano no Campeonato Brasileiro que você considerou a mais difícil? Qual foi a que você mais gostou e os tipos de terreno que prefere andar?

Carlos Campano: Para mim a pior etapa foi a de Pedra Bonita, em Minas Gerais. A cidade mineira não tinha estrutura para receber a competição, para chegar lá são vários quilômetros de estradas de terra muito sinuosos, o hospital mais próximo fica a cerca de 50 km de distância. Já a que mais gostei foi a de Santa Maria (RS). Prefiro competir em terrenos arenosos, pois você consegue abrir diferença de tempo devido à pista pesada, e se chover não tem problema nenhum.

Moto.com.br: No ano passado você foi vice campeão do Arena Cross e do Brasileiro e este ano com uma moto nova venceu as duas competições. Qual diferença você sentiu entre o modelo 2013 e o 2014?

Carlos Campano: A versão 2014 melhorou bastante e é totalmente diferente se você andar com uma e depois andar com a outra. O motor recebeu alterações e está mais forte, larguei na frente em quase todas as provas. Mas, a principal diferença que senti foi estrutural, com a alteração do chassi. É uma moto que gosto bastante de pilotar e estou muito satisfeito com sua evolução.

Moto.com.br: Quais são seus planos para o futuro, pretende competir o mundial ou pensa em ficar no Brasil?

Carlos Campano: Meu contrato com a Yamaha vai até o próximo ano e pretendo continuar por aqui por muito tempo. Não tenho planos de competir no Mundial, pois é uma competição muito cara e precisa de alto investimento, principalmente na moto. Gostaria de competir, mas no momento é impossível. Se surgir a oportunidade quero participar pelo menos de alguma etapa.

Saiba mais sobre o Campeão Brasileiro de Motocross 2014

Carlos Campano

Carlos Campano é um dos grandes nomes da história do motocross espanhol - e agora, do brasileiro. Começou a pilotar aos 4 anos de idade. Aos 9, ganhou seu primeiro campeonato espanhol, na categoria 60cc.

Subiu para a categoria MX2 (profissional) em 2002, se tornando Vice-campeão Espanhol de Supercross. No mesmo ano, estreou no Mundial de Motocross.

De 2004 a 2011, foi convocado todos os anos pela Federação Espanhola para integrar a equipe do Motocross das Nações. Em 2006, conquistou seu primeiro campeonato espanhol na categoria MX2, sendo o primeiro piloto da Andaluzia a conquistar tal feito.

Ainda antes de completar 23 anos, em 2008, se transferiu para a principal categoria do esporte, a MX1, pilotando motocicletas de 450cc.

No ano seguinte, em 2009, fez sua primeira corrida no Brasil, durante o Mundial de Motocross realizado em Canelinha, Santa Catarina. Conquistou aqui um dos grandes resultados de sua carreira, o sexto lugar na categoria MX1 (atual MXGP). Neste ano também ganhou o campeonato espanhol de 450cc (novamente o primeiro da Andaluzia a fazer isso).

Em 2010, viveu o ápice ao se tornar campeão mundial de motocross na categoria MX3.

Em 2011 fechou a parceria com o Grupo Geração e da Yamaha e participou de uma prova internacional realizada em Canelinha, SC. Venceu e começou sua história de conquistas no Brasil.

Em 2012, se mudou em definitivo para viver em São José, na Grande Florianópolis, e defender as cores da Yamaha. Se consagrou então campeão brasileiro de motocross e da Superliga Brasil de Motocross, ambos na categoria MX1. Além disso, foi vice-campeão do Arena Cross 2012.

Em 2013, sofreu com lesões e acabou vice-campeão brasileiro e vice-campeão do Arena Cross (a Superliga foi extinta).

Em 2014, conquistou os dois títulos mais importantes do motocross brasileiro, um na MX1 do Brasileiro de Motocross e outro na categoria Pró do Arena Cross.

Data de nascimento: 15 de setembro de 1985

Cidade natal: Sevilha – Espanha

Onde reside: São José – Santa Catarina

Motocicleta: Yamaha YZ450F

Site: www.carloscampano.com

 Fotos: Paulo Souza/Divulgação Yamaha

 



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

KTM promove recall para a linha Adventure 1190 e 1290

Exclusivo: entrevista com Fernando Filie - planos da Ducati para 2017

Salão Moto Brasil vai ter exposição de motos customizadas

Calendário Pirelli 2017 tem o título "Emocional", por Peter Lindbergh

Cursos do Centro de Treinamento da Harley em parceria com SENAI-SP

Honda é a maior vencedora do Prêmio Top Moto 2016

Licenciamento para motos com placa terminada em 0

BMW apresenta a aventureira compacta G 310 GS

Mudanças deixam Yamaha MT-09 mais radical para 2017

Suzuki V-Strom 250 2017 mostra a cara no Salão de Milão

Yamaha promete inusitada Ténéré 700 para 2018

Honda CRF 1000L Africa Twin chega nas lojas a partir de R$ 64.900

Honda revela nova custom Rebel 500 nos Estados Unidos

Ducati barbariza com novos modelos da linha 2017


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras