moto.com.br
Publicidade:

Acontece

Cresce a concorrência pelo segmento premium

09 de May de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

Entre o final de abril e o início de maio, o mercado de duas rodas apresentou boas notícias e algumas novidades. A Yamaha irá produzir no Brasil a aventureira XT 1200Z Super Ténéré. Disponível nas versões Standard e Deluxe com preços sugeridos de R$ 55.990 e R$ 61.990, respectivamente. A Triumph passou a vender a versão standard da superesportiva Daytona 675 (R$ 41.900). A BMW trouxe ao mercado brasileiro o scooter C 600 Sport e a BMW K 1600 GTL Exclusive. O modelo, ideal para o turismo, conta com muito luxo, conforto e tecnologia embarcada. Topo de linha da marca alemã, a Exclusive custa R$ 124.500,00. Já a Honda apresentará este mês a crossover CB 500X. Com preços que variam entre R$ 23.500,00 (STD) e R$ 25.000,00 (ABS).

Esta enxurrada de novos produtos apresenta, em uma análise mais criteriosa, dois aspectos relevantes: o amadurecimento do motociclista brasileiro, além, é claro, de uma maior renda sendo utilizada para lazer e entretenimento. Por isso, a disputa por este consumidor está cada vez mais acirrada. Mas qual é o panorama hoje? Quais marcas estão se destacando. Qual é o volume de vendas? Confira o ranking dos principais players no Brasil.

Segundo a Abraciclo (associação que reúne os fabricantes de motos), as vendas no atacado para modelos acima de 450cc representam menos de 4% do todas de motos comercializadas no país. Assim como no mercado como um todo, a Honda é líder deste mercado Premium. Entre janeiro e abril a marca japonesa vendeu 5.680 unidades, entre modelos nacionais e importados. O resultado corresponde a 32% das vendas das motos acima de 450cc. Os modelos mais licenciados da Honda são: CB 500F, CB 600 F Hornet, CB 1000R, todos do segmento naked. Juntas somam 3.446 unidades emplacadas.

A Yamaha, segunda no ranking, comercializou 3.208 motos acima de 500cc neste primeiro quadrimestre. Destaques para a trail XT 660R (1.210) e para a naked XJ6 N (780). A XT660Z Ténéré e a XVS 950 A Midnight Star também tiveram um bom desempenho de vendas. Alias, a Midnight é a custom mais vendida do país, com 317 unidades emplacadas nos primeiros quatro meses do ano.

Harley versus BMW
Mas é no pelotão intermediário que as disputas estão mais acirradas. Entre janeiro e abril deste ano, a BMW vendeu 2.451 motos, enquanto a Harley-Davidson 2.419. No mesmo período do ano passado, as posições estavam invertidas: HD com 2.446 contra 2.299 motos comercializadas pela marca bávara. Além da mudança de posições, vale registrar o aumento nas vendas de ambas as marcas.

Entretanto, a Harley conta com apenas uma arquitetura de motor. O bom e velho “V2”, que foi instalado pela primeira vez em 1909, hoje equipa os 18 modelos - divididos pelas seis famílias. Da “básica” Sportster 883 até a exclusiva CVO Limited (1.800cc), considerada a moto de série mais cara do Pais – R$ 139.100 . Já a BMW oferece ao consumidor vários estilos de motos e motores. Do tradicional monocilíndrico que equipa a G 650 GS até os seis cilindros em linha da linha K 1600, passando pelos propulsores de dois cilindros paralelos, boxer e quatro cilindros em linha.

Detalhe: no primeiro trimestre deste ano, a BMW bateu um novo recorde em vendas globalizadas. De janeiro a março, foram comercializadas 28.719 unidades nos cinco continentes - 16,1% a mais do que no mesmo período de 2013. Os novos modelos R NineT, S 1000 R, R 1200 RT e K 1600 GTL foram os responsáveis por impulsionarem as vendas mundiais da marca alemã.

Inglaterra versus Japão
Outra disputa bastante interessante está entre a Kawasaki e a Triumph. A marca inglesa leva ligeira vantagem – 1.417 unidades contra 1.380 motos Kawa emplacadas em 2014. “Case” do segmento de duas rodas, a Triumph apresenta uma crescimento de mais de 260% em apenas um ano. Este resultado se deve a um bom planejamento, line-up variado, produtos de qualidade e preços competitivos. Só para ilustrar, a clássica Bonneville T100 custa R$ 29.900 (R$ 3.000 menos que sua principal concorrente, a HD Sportster 883R). Outros destaques ficam para a família de bigtrails Tiger (800cc e1200cc) que, juntas, emplacaram um total de 827 unidades neste ano. A naked Speed Triple, a superesportiva Daytona 675 e a grã-turismo Trophy 1200 vêm apresentando crescimento gradual em suas vendas.

Para finalizar, a Ducati não aparecia no ranking das 20 marcas mais vendidas em 2013. No primeiro quadrimestre do ano a montadora italiana já comercializou 353 unidades. O “carro-chefe” é a Monster 796 (R$ 37.900), que teve 128 unidades licenciadas de janeiro a abril. Outro destaque é a musculosa Diavel Black, que parte de R$ 58.900.



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

KTM oferece as motos de enduro com bônus de fábrica

Abraciclo: Produção de motos recua ao patamar de 2002

Ducati lança aplicativo para simular financiamento de motos

Triple Triumph inaugura nova loja em Miami (Estados Unidos)

Ducati Diavel Diesel desfila em Milão como moto fashion

Salão Moto Brasil tem muitas atrações no Rio de Janeiro

Honda apresentará Rebel 500 no Salão de Verona (ITA)

Nova Kawasaki Ninja H2 Carbon chega por R$ 164 mil

Honda apresenta linha 2017 da aventureira XRE 300 no país

Polícia de SP vai combater crime de Triumph Tiger 800 XCx

Triumph revela linha 2017 da Street Triple na Inglaterra

Ducati Diavel Diesel desfila em Milão como moto fashion

Clássica Honda CB 1100EX chega aos EUA

Honda mostra moto que se equilibra sozinha na CES 2017


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras